Consumo de mirtilos poderá ajudar no combate à obesidade

Estudo apresentado no Experimental Biology 2011

13 abril 2011
  |  Partilhar:

O consumo de mirtilos pode inibir o desenvolvimento das células adiposas, dá conta um estudo que foi apresentado recentemente no encontro Experimental Biology 2011 da American Society for Nutrition.
 

O benefício do consumo de mirtilos tem vindo a ser demonstrado em vários estudos nutricionais. Muitos deles referem que o seu elevado teor de polifenóis tem um efeito protector na saúde cardiovascular. Adicionalmente, foi também demonstrado que os mirtilos exercem um efeito positivo em inúmeras áreas, desde o envelhecimento até à síndrome metabólica.
 

Neste estudo, os investigadores da Texas Woman's University, nos EUA, decidiram verificar se este fruto poderia ter também um papel importante na redução da obesidade. Assim, os investigadores liderados por Shiwani Moghe decidiram avaliar se o polifenóis presentes nos mirtilos tinham um papel importante na diferenciação dos adipócitos, um processo no qual as células indiferenciadas adquirem características de adipócitos, um tecido conectivo especializado na síntese e armazenamento de gordura.
 

Estudos anteriores já haviam indicado que os polifenóis presentes nas plantas conseguiam combater a adipogénese, que envolve o desenvolvimento de células adiposas, e induzir a lipólise, um processo no qual se dá a degradação de lípidos.
 

Segundo explica Shiwani Moghe em comunicado enviado à imprensa, “queríamos verificar se os polifenóis dos mirtilos poderiam inibir a obesidade ao nível molecular.” Para isso, os investigadores utilizaram uma cultura de tecidos e verificaram que os polifenóis apresentavam um efeito supressor, que era dependente da dose, na diferenciação dos adipócitos. A quantidade de lípidos presentes na experiência controlo era significativamente maior do que aquela observada nas culturas que tinham sido tratadas com polifenóis presentes nos mirtilos. Foi verificado que a adição de quantidades mais elevadas de polifenóis conduziu a uma diminuição de cerca de 73% na quantidade de lípidos, sendo que a dose mais baixa diminui em cerca de 27%.
 

Shiwani Moghe revela que “será ainda necessário testar esta dose nos humanos, para se ter a certeza que não há efeitos adversos, e que estas quantidades são eficazes.” Mas os autores do estudo acrescentam que este estudo preliminar parece indicar que os mirtilos poderão realmente ajudar a reduzir a formação do tecido adiposo.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 3Média: 4.7
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.