Consumo de frutos de casca rija associado a menos inflamação

Estudo publicado pelo “American Journal of Clinical Nutrition”

11 agosto 2016
  |  Partilhar:
O consumo frequente de frutos de casca rija foi associado a nível reduzidos de biomarcadores de inflamação, revela um estudo levado a cabo por cientistas norte-americanos e publicado no “American Journal of Clinical Nutrition”.
 
Vários estudos têm demonstrado que os frutos de casca rija possuem um papel protetor no que diz respeito a doenças cardiometabólicas, tais como doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2,doenças em que a inflamação tem um papel importante, revela Ying Bao, autor correspondente do Hospital Brigham and Women’s, nos EUA.
 
Bao e colegas tinham já observado uma associação entre o maior consumo de frutos de casca rija e a redução do risco relacionado com doenças crónicas e morte. Contudo, pouco estudos prospetivos de coorte tinham analisado a relação entre o consumo deste tipo de frutos e a inflamação.
 
Como tal, o estudo atual consistiu numa análise de dados do Estudo de Saúde de Enfermeiras, que incluiu mais de 120 mil enfermeiras, e do Estudo de Acompanhamento dos Profissionais de Saúde, que contou com mais de 50 mil profissionais masculinos da área da saúde. Os cientistas analisaram a dieta dos participantes através de questionários e registaram os níveis de determinados biomarcadores através de análises sanguíneas. Os biomarcadores selecionados foram a proteína C-reativa (PRC), a interleucina 6 (IL6) e o recetor do fator de necrose tumoral 2 (TNFR2, sigla inglesa).  
 
Os dados da investigação revelaram que os indivíduos que consumiam cinco ou mais porções de frutos de casca rija por semana apresentavam níveis mais reduzidos de PRC e IL6 do que aqueles que nunca ou raramente consumiam este tipo de alimento. Além disso, aqueles participantes que tinham substituído três porções por semana de carnes vermelhas, carnes processadas, ovos ou cereais refinados por frutos de casca rija apresentavam níveis significativamente inferiores de PRC e de IL6.
 
“O nosso novo estudo sugere que os frutos de casca rija podem exercer os seus efeitos benéficos em parte através da redução da inflamação sistémica”, declara Bao, em comunicado da instituição norte-americana.
 
Amendoins e nozes são ricos em elemento saudáveis, como o magnésio, fibra, arginina-L, antioxidantes e ácidos gordos insaturados, como o ácido alfa-linolénico. Contudo, ainda não se sabe quais, ou se a combinação de todos, é responsável pela proteção contra a inflamação.
 
“Ainda há muito por descobrir acerca de que forma a nossa dieta influencia a inflamação e, em sua vez, o nosso risco de doenças”, afirma o cientista. “No entanto, o nosso estudo defende o papel genericamente saudável dos frutos de casca rija na dieta e sugere a redução da inflamação como um potencial mecanismo que pode ajudar a explicar os benefícios dos frutos de casca rija nas doenças cardiometabólicas”, conclui.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.