Consumo de carne vermelha pode estar associado ao desenvolvimento de cancro do rim

Estudo publicado no “American Journal of Clinical Nutrition”

03 janeiro 2012
  |  Partilhar:

O consumo de grandes quantidades de carne vermelha pode estar associado a um maior risco de desenvolvimento certos tipos de cancro renais, especialmente se a carne foi grelhada ou assada na brasa, dá conta um estudo publicado no “American Journal of Clinical Nutrition”.

 

“Os nossos resultados estão em consonância com as recomendações dietéticas da American Cancer Society, a qual limita o consumo de carne vermelha, processada e a preparada no forno ou grelhada”, explicou em comunicado enviado à imprensa, a líder do estudo, Carrie Daniel.

 

Estudos anteriores já tinham analisado a associação entre a ingestão de carne vermelha e o desenvolvimento do cancro do rim, mas tinham chegado a resultados inconclusivos. De forma a tentar clarificar esta situação os investigadores do National Cancer Institute, nos EUA, contaram com a participação de perto de 500 mil adultos, com idade igual ou superior a 50 anos, que responderam a questionários sobre os seus hábitos alimentares. Todos os participantes foram, em média, acompanhados durante de nove anos.

 

Durante este período, cerca de 1.800 participantes, menos de 0,5% do número total, foram diagnosticados com cancro do rim. Os homens envolvidos no estudo consumiam, em média, cerca de 60 a 85 g de carne vermelha por dia, enquanto as mulheres consumiam cerca de 30 a 57 g.

 

O estudo revelou que, em comparação com os participantes que ingeriam até 31 g de carne vermelha por dia, os que consumiam maiores quantidades de carne vermelha, cerca de 115 g por dia, tinham um risco 19% maior de serem diagnosticados com cancro do rim. Foi também observado que o risco de cancro do rim era agravado para os indivíduos que consumiam a carne muito grelhada.

 

Esta análise teve em conta outros aspetos que poderiam influenciar o risco de desenvolvimento de cancro, como idade, raça, consumo de frutas e legumes, tabagismo, consumo de álcool, hipertensão e diabetes.

 

Quando os investigadores avaliaram os tipos mais comuns de cancro do rim, verificaram que havia uma forte associação entre o consumo de carne vermelha e o chamado cancro papilar, mas não encontraram nenhum efeito no carcinoma renal das células claras.

 

Carrie Daniel admitiu que são necessários mais estudos para compreender porque é que a carne vermelha parece estar associada ao aparecimento de determinados tipos de cancro, e não de outros. Por enquanto, recomenda evitar expor diretamente a carne às chamas ou ao metal quente, e usar o micro-ondas para cozinhar parcialmente a carne antes de expô-la a elevadas temperaturas.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.