Consumo de cafeína associado a níveis mais baixos de disfunção erétil

Estudo divulgado no “PLOS One”

25 maio 2015
  |  Partilhar:
Homens que consomem cafeína equivalente a entre dois a três cafés por dia apresentam menor risco de sofrer de disfunção erétil, segundo um estudo realizado por cientistas do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, nos EUA.
 
Nos EUA, 18,4% dos homens com mais de 20 anos sofrem de disfunção erétil e mais de 85% dos adultos consome cafeína. Como tal, os investigadores quiseram analisar o impacto do consumo de cafeína na disfunção erétil.
 
Para este estudo foram utilizados dados do “Questionário Nacional de Avaliação de Saúde e Nutrição” (“National Health and Nutrition Examination Survey”), tendo a presença da disfunção erétil nos inquiridos sido avaliada através de uma única questão durante a entrevista realizada por computador. As fontes de cafeína identificadas no questionário foram café, chá, refrigerantes e bebidas energéticas.
 
Os achados da investigação revelam que os homens que consomem entre 85 e 179 miligramas de cafeína por dia apresentam menos 42% de probabilidade de vir a sofrer de disfunção erétil, enquanto aqueles que consumem entre 171 e 303 miligramas dessa substância diariamente possuem uma probabilidade 39% inferior de sofrer da doença em relação àqueles que consumem entre zero e sete miligramas de cafeína por dia.
 
Esta tendência foi observada também em indivíduos com excesso de peso, com obesidade e hipertensão.
 
“Apesar de assistirmos a uma redução da prevalência da disfunção erétil em homens obesos, com excesso de peso e hipertensos, o mesmo não acontece em homens com diabetes. A diabetes é um dos maiores fatores de risco para a disfunção erétil, por isso, esse facto não foi surpreendente”, revelou David S. Lopez, autor principal do estudo.
 
Os cientistas acreditam que a cafeína desencadeia uma série de efeitos farmacológicos que conduzem ao relaxamento das artérias helicinas e do tecido muscular liso que reveste os espaços cavernosos, aumentando, desta forma, o fluxo sanguíneo peniano.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.