Consumo de álcool em excesso estimula processo inflamatório

Estudo publicado na revista “BMC Immunology”

05 outubro 2009
  |  Partilhar:

O consumo excessivo de álcool num curto período de tempo, fenómeno denominado “binge drinking”, pode debilitar a capacidade do organismo para combater as infecções durante, pelo menos, 24 horas, alerta um estudo publicado na revista “BMC Immunology”.

 

Em experiências realizadas em ratinhos, cientistas do Mississippi State University College of Veterinary, nos EUA, liderados por Stephen Pruett, verificaram que a ingestão de álcool em excesso afecta o receptor 4 do tipo Toll (TLR4), um receptor que tem uma função importante na activação do sistema imunitário.

 

O beber em excesso suprime a capacidade que o TLR4 tem de enviar sinais que activam a produção de citoquinas inflamatórias, moléculas que sinalizam o início de uma resposta inflamatória à infecção.

 

No estudo, também foi verificado que beber álcool em excesso inibe a NF-kB, um complexo proteico que controla a expressão de algumas das citoquinas inibidas pelo álcool.

 

No comunicado enviado à imprensa, o líder da investigação explica que a diminuição das defesas do sistema imunitário se mantém, pelo menos, durante um período de 24 horas após a ingestão de álcool em excesso, mesmo depois de o etanol ter desaparecido do organismo.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.