Conjuntivite alérgica afeta 20 a 25% dos portugueses
07 abril 2014
  |  Partilhar:

As conjuntivites alérgicas, que ocorrem com maior frequência com a chegada da Primavera e o aumento dos níveis de polinização, atingem cerca de 20 a 25% da população portuguesa, em especial a mais jovem, refere a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO).

 

De acordo com o oftalmologista e presidente da SPO, Paulo Torres, “a conjuntivite alérgica é uma doença inflamatória da superfície ocular externa, muitas vezes recorrente e que se manifesta principalmente através do prurido, fotofobia e lacrimejo. Outras manifestações tais como sensação de ardor, de corpo estranho, vermelhidão e edema da conjuntiva e das pálpebras podem também estar presentes”.

 

As conjuntivites podem também ter várias causas, nomeadamente de origem infeciosa, a qual se distingue da conjuntivite alérgica pela da presença de secreções muco-purulentas. “Adicionalmente a conjuntivite alérgica manifesta-se quase sempre nos dois olhos, enquanto a conjuntivite infeciosa pode manifestar-se apenas num dos olhos”, refere o oftalmologista.

 

Paulo Torres refere ainda que os sintomas nasais de rinite estão muitas vezes associados à conjuntivite alérgica, podendo esta ter um carácter sazonal com exacerbação dos sintomas na primavera, altura do ano em que há uma grande quantidade de pólenes no ar e no outono com a queda da folha.

 

Contudo, quando a conjuntivite alérgica apresenta um carácter persistente está associada a outro tipo de alergénios, como sejam os ácaros do pó da casa e os epitélios de animais domésticos

 

O oftalmologista refere que apesar de esta condição ser tratável, nomeadamente através da toma de  anti-histamínicos tópicos, deve-se sempre tentar prevenir o desencadear ou o agravamento da alergia ocular evitando a exposição aos alergénios conhecidos.

 

Assim, e de acordo com Paulo Torres, deve-se evitar andar ao ar livre nas primeiras horas da manhã (altura em que há maior polinização), em dias ventosos, quentes e secos, e em espaços relvados. É também aconselhável a utilização de óculos escuros com filtro UV. Nas situações de conjuntivites alérgicas perenes é fundamental evitar a acumulação de pó em casa e a proliferação de ácaros domésticos, cujo crescimento é facilitado pelo calor e pela humidade.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.