Cônjuges partilham até a diabetes

Estudo publicado na revista “BMC Medicine”

31 janeiro 2014
  |  Partilhar:

Os cônjuges para além de partilharem deveres e responsabilidades podem também partilhar a diabetes. O estudo publicado na revista “BMC Medicine” tem importantes implicações clínicas na medida em que pode melhorar a deteção da diabetes e motivar os casais a trabalhar conjuntamente de forma diminuir o risco de desenvolvimento desta condição.
 

Neste estudo os investigadores da Universidade de McGill, no Canadá, decidiram averiguar se o facto de um cônjuge ter diabetes tipo 2 poderia influenciar o aparecimento desta condição no outro, uma vez que muitos dos fatores de risco da diabetes, como maus hábitos alimentares e baixa atividade física, são muitas vezes partilhados pelos casais.
 

Os investigadores decidiram analisar os resultados de seis estudos, conduzidos em diferentes partes do mundo, tendo tido em conta a idade, estado socioeconómico e a forma como a diabetes tinha sido diagnosticada em 75.498 casais.
 

Através dos resultados apurados com os testes sanguíneos, os investigadores liderados por Kaberi Dasgupta, constaram que havia um aumento de cerca de 26% no risco de desenvolver diabetes tipo 2 no caso de o cônjuge ter também esta condição.
 

A investigadora refere que muitas vezes os médicos questionam os pacientes sobre a sua história familiar. Contudo, este estudo sugere que a história do cônjuge deve ser também tida em consideração.
 

De acordo com Kaberi Dasgupta, a presença da diabetes tipo 2 num dos cônjuges pode ser uma ferramenta para a deteção precoce da diabetes.
 

“Os resultados sugerem que o diagnóstico da diabetes num dos cônjuges pode justificar o aumento da vigilância no outro. Adicionalmente, observou-se que os homens são menos propensos que as mulheres a submeterem-se a avaliações médica regulares após a infância, o que pode atrasar a deteção da diabetes. Desta forma um homem que viva com uma esposa com história de diabetes pode beneficiar do fato de ser acompanhado mais de perto”, referiu em comunicado de imprensa, a investigadora.
 

Kaberi Dasgupt acrescenta que estes resultados podem incentivar o desenvolvimento de estratégias que envolva o casal. A alteração de comportamentos relativos à saúde é um desafio que com a colaboração do cônjuge se torna mais fácil.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.