Congelação de óvulos aumenta fertilidade

Médicos reunidos em Chaves

05 outubro 2003
  |  Partilhar:

Uma mulher vai ser objecto de um tratamento oncológico e, por isso, vai perder a capacidade de produzir óvulos. Como quer ainda ser mãe, congela alguns dos seus óvulos, esperando que, no futuro, estes possam ser fundados in-vitro e dar origem a uma gravidez. Este procedimento, hoje bastante arriscado e com uma altíssima taxa de falibilidade, poderá, dentro de alguns anos, passar a ser habitual.
 

 

Simon Marina, um especialista de Barcelona, apresentou, este fim-de-semana, em Chaves, os primeiros resultados auspiciosos para melhoria desta técnica, tendo Silva Carvalho, presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina de Reprodução, considerado que se trata de «um pequeno passo, mas muito importante».
 

 

Os médicos de reprodução debateram ainda a necessidade de diminuir os riscos de gravidezes múltiplas resultantes dos actuais procedimentos de fertilização in-vitro, responsáveis por uma taxa de mortalidade neo-natal na casa dos 25 por cento, considerada «inaceitável».
 

 

Durante as jornadas foram ainda apresentados os resultados de um trabalho de consensualização sobre a criação de critérios uniformes de prescrição de contraceptivos, passo tão mais importante quanto aos métodos tradicionais se juntarão, a breve prazo, os sistemas de libertação hormonal lenta, como os implantes subcutâneos.
 

 

Leia tudo na: Público
 

o

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.