Conflitos parentais afetam cérebro dos bebés

Estudo publicado na revista “Psychological Science”

01 abril 2013
  |  Partilhar:

A exposição dos bebés aos conflitos entre os pais afeta a forma como os seus cérebros processam o tom de voz, sugere um estudo publicado na revista “Psychological Science”.
 

Os cérebros dos bebés são altamente plásticos, permitindo-lhes desenvolver uma resposta aos ambientes e às experiências com que contactam. Contudo, esta plasticidade está associada a um certo grau de vulnerabilidade. Estudos anteriores demonstraram que o stress intenso, nomeadamente maus tratos ou a institucionalização, pode ter um impacto negativo no desenvolvimento da criança.
 

Neste estudo, os investigadores da University of Oregon, nos EUA, decidiram averiguar o impacto do stress moderado sobre o cérebro dos bebés. “Estávamos interessados em perceber se uma fonte comum de stress, o conflito entre os pais, estava associada à forma como o cérebro dos bebés funciona”, revelou, em comunicado de imprensa, a principal autora do estudo, Alice Graham.
 

De forma a tentar responder a esta questão, os investigadores contaram com a participação de 20 bebés com idades compreendidas entre os seis e os 12 meses de idade, os quais foram acolhidos no seu laboratório durante os seus habituais períodos de sono. Enquanto dormiam, os bebés foram expostos a uma voz de um adulto do sexo masculino que pronunciava frases sem sentido ditas num tom muito irritado, levemente irritado, feliz, e neutro. Simultaneamente, os bebés foram submetidos a uma ressonância magnética funcional.
 

“Mesmo a dormir, os bebés apresentaram padrões de atividade cerebral distintos, sendo estes dependentes do tom emocional da voz a que tinham sido expostos”, explicou a investigadora.
 

O estudo apurou que as crianças oriundas de famílias conflituosas apresentavam uma grande reatividade ao tom de voz irritado em áreas do cérebro associadas ao stress e à regulação das emoções, nomeadamente córtex cingulado anterior, caudado, tálamo e hipotálamo.
 

Estudos anteriores realizados em animais demostraram que estas áreas do cérebro desempenhavam um papel importante no impacto que o stress precoce tinha no desenvolvimento. Os resultados deste novo estudo sugerem que o mesmo pode ocorrer nos bebés.
 

De acordo com os autores do estudo, estes resultados mostram que os bebés não são indiferentes aos conflitos dos pais, e que a exposição a estes conflitos pode influenciar o modo como o cérebro dos bebés processa a emoção e o stress.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.