Compostos químicos presentes em framboesas impedem infecções urinárias

Estudo publicado no “Journal of Medicinal Food”

18 março 2009
  |  Partilhar:

Um estudo publicado no “Journal of Medicinal Food” revela que os compostos fenólicos existentes nas framboesas impedem a infecção urinária causada pela adesão da bactéria Escherichia coli (E. coli) às células presentes no tracto urinário.

 

A adesão da E. coli às células do tracto urinário é o primeiro passo no desenvolvimento das infecções do tracto urinário.

 

Paola Pinzón-Arango, do Worcester Plytechnic Institute, em Massachusetts, nos EUA, e os seus colaboradores descobriram que um dos compostos fenólicos presentes nas framboesas, as proantocianidinas (PCO), impedia que a E. coli, a qual é a causa de cerca de 85% das infecções do tracto urinário e 90% dos casos de pielonefrite aguda, aderisse às células epiteliais do tracto urinário.

 

Os investigadores adicionaram a uma cultura de E. coli um cocktail de sumo framboesas ou proantociadinas de framboesas e, usando um microscópio de força atómica, mediaram as forças de adesão criadas entre a bactéria e uma superfície de silicone.

 

Os autores deste estudo verificaram que quanto maior era o tempo de exposição da bactéria tanto ao sumo de framboesas como às proantocianidinas menor era a sua capacidade de adesão. Por outro lado, os cientistas concluíram também que este efeito era reversível, ou seja, quando as bactérias deixavam de estar expostas às condições acima descritas, ganhavam de novo a capacidade de aderir à superfície de silicone.

 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.