Composto dos brócolos poderá ajudar a tratar a leucemia

Estudo publicado na “PLoS ONE”

17 dezembro 2012
  |  Partilhar:

Uma forma concentrada de um composto conhecido por sulforafano, encontrado nos brócolos e noutros vegetais crucíferos, reduz o número de células de leucemia linfoblástica aguda, refere um estudo publicado na revista científica “PLoS ONE”.
 

A leucemia linfoblástica aguda é um tipo de cancro dos leucócitos que é comum entre as crianças. Apesar de haver cerca de 80% de taxa de cura, algumas crianças não respondem ao tratamento. Assim para este tipo de casos são necessários tratamentos alternativos.
 

Neste estudo os investigadores da Baylor College of Medicine, nos EUA, focaram-se no sulforafano purificado, um composto natural que está presente nos brócolos e que se acredita ter propriedades preventivas e terapêuticas nos tumores sólidos. Estudos anteriores demonstraram que as pessoas que têm uma dieta rica em vegetais crucíferos apresentam um menor risco de desenvolvimento de certos tipos de cancro.
 

De forma a estudar como o composto poderia atuar na leucemia linfoblástica aguda, os investigadores liderados por Koramit Suppipat, incubaram linhas celulares humanas derivadas da leucemia e linfoblastos primários provenientes de pacientes pediátricos, com o composto. O estudo apurou que, quando expostas ao sulforafano, as células cancerígenas morriam enquanto as saudáveis não eram afetadas. Estudos realizados em modelos animais também chegaram a resultados semelhantes.
 

Os autores do estudo explicaram que o composto entra nas células e reage com determinadas proteínas. Apesar de serem necessários mais estudos, os investigadores acreditam que no futuro este composto poderá ser utilizado conjuntamente com as terapias atuais para o tratamento da leucemia.
 

Esta equipa de investigação está também a tentar determinar quais e como são afetadas as proteínas que interagem com o sulforafano. Na sua opinião esta descoberta poderia conduzir à identificação de um novo alvo terapêutico que poderá estar também envolvido noutros tipos de cancro.
 

“O sulforafano é um produto natural. Contudo, o que foi utilizado neste estudo foi uma forma concentrada e purificada. Assim, apesar de o consumo de vegetais crucíferos ser benéfico estes não irão ter o mesmo efeito que o observado em laboratório”, conclui, um dos autores do estudo, Daniel Lacorazza.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.