Comportamento impulsivo poderá ser controlado

Estudo publicado no “British Journal of Pharmacology”

14 março 2012
  |  Partilhar:

Investigadores espanhóis descobriram uma forma de modular os níveis elevados de impulsividade, um dos principais problemas das doenças psiquiátricas como a esquizofrenia, doença bipolar e adição de substâncias, dá conta um estudo publicado no “British Journal of Pharmacology”.

 

Neste estudo os investigadores do Instituto de Neurociencias de Alicante, Espanha, constataram que através da manipulação do sistema endocanabinóide poderiam modular os níveis de impulsividade. O sistema endocanabinóide regula muitos parâmetros do desenvolvimento embrionário e está envolvido em vários mecanismos homeostáticos. Este sistema é compreendido por dois recetores, o CB1 e o CB2, dois ligandos endógenos e duas enzimas metabólicas.

 

Apesar de se acreditar que o CB2 só regulava a resposta imune ao nível periférico, um estudo publicado em 2005 na revista científica “Science” veio demonstrar que este recetor era expresso no cérebro. Desde essa altura que muitos investigadores têm-no associado com a regulação do comportamento emocional e da função cognitiva.

 

Neste estudo os investigadores do Instituto de Neurociencias de Alicante, Espanha, estudaram a ação de dois fármacos canabinóides que estimulam e bloqueiam o CB2 numa estirpe de ratinhos que apresentava níveis elevados de impulsividade. Os cientistas, liderados por Jorge Manzanares Robles, analisaram se estes fármacos eram capazes de modular o comportamento impulsivo e as modificações cerebrais associadas a este tipo de comportamento.

 

O estudo revelou que a modulação da atividade do recetor CB2 reduzia o comportamento impulsivo dos ratinhos. Com base nestes resultados poder-se-ão realizar ensaios clínicos utilizando fármacos que atuem seletivamente no CB2 e assim evitando os efeitos psicoativos da manipulação do CB1, cujo papel na impulsividade já foi provado.

 

Contudo, os autores do estudo alertam para o fato de ainda ser um pouco cedo para se ter uma ferramenta terapêutica de confiança.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.