Comparticipação total nos genéricos a pensionistas mais pobres

Medida aplaudida por vários sectores

28 abril 2009
  |  Partilhar:

O Conselho de Ministros aprovou, na semana passada, a comparticipação a 100% dos medicamentos genéricos a pensionistas com rendimentos mensais inferiores a 450 euros, o salário mínimo nacional. A medida foi aplaudida pelas Ordens dos Médicos e Farmacêuticos e pela Associação Nacional de Farmácias.

 

A Associação Portuguesa de Medicamentos Genéricos (APOGEN) congratulou-se com a aprovação governamental da comparticipação total dos medicamentos genéricos a pensionistas mais pobres, invocando "significativas poupanças para o Estado".

 

Em comunicado, citado pela agência Lusa, a APOGEN salienta que "um aumento da dispensa e da prescrição de medicamentos genéricos gera significativas poupanças para o Estado, já que, quanto mais medicamentos genéricos forem consumidos, menor será a factura do Estado com comparticipações".

 

Em comunicado, a Ordem dos Farmacêuticos congratulou o Governo pela decisão, que considerou um “balão de oxigénio para muitos dos doentes que se viam na impossibilidade de adquirir todos os medicamentos prescritos”. Por seu turno, o bastonário da Ordem dos Médicos, Pedro Nunes, aplaudiu a medida e realçou que há pessoas que deixam de comer para pagar medicamentos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.