Como os sedentários vêem o exercício físico

Quem se exercita pouco pensa que faz o necessário

13 janeiro 2003
  |  Partilhar:

Apesar da falta de exercício estar relacionada com a maior parte das mortes por doenças cardiovasculares, as pessoas sedentárias - que realizam actividades como jardinagem, caminhadas ou outro exercício físico - tendem a pensar que gastaram mais energia do que realmente fizeram.
 

 

Segundo um novo estudo, os adultos sedentários, que não estão acostumados ao exercício regular, tenderam a superestimar a intensidade da actividade física.
 

 

Um estudo efectuado na Universidade da Florida, em Gainesville, avaliou 94 homens e mulheres, inscritos num programa de exercícios de dois anos. Todos eram saudáveis, mas a maioria apresentava peso um pouco acima do normal e não estava em forma.
 

 

Ao longo de sete meses, os participantes registaram a quantidade de tempo gasto a dormir, bem como a realizar várias actividades - exercícios, tarefas relacionadas a trabalho. As lembranças e os registros foram comparados com a intensidade e duração real das actividades, medidas pela avaliação da frequência cardíaca.
 

 

No grupo, 41 por cento dos sedentários lembraram o envolvimento em actividades moderadas por, no mínimo, 10 minutos, três por cento disseram ter realizado actividades pesadas e um e meio por cento afirmou ter feito actividades muito pesadas.
 

 

Segundo os registos, 47, 11 e um e meio por cento dos indivíduos tiveram, por no mínimo 10 minutos, actividades moderadas, pesadas ou muito pesadas, respectivamente. Ainda assim, a medida da frequência cardíaca revelou que apenas 15 por cento dos indivíduos se envolveram em actividades moderadas, um e meio por cento em actividades pesadas e nenhum realizou actividades muito pesadas, indicou o trabalho.
 

 

Os autores reconheceram que indivíduos que não estavam em forma podem classificar certas actividades como mais intensas do que pessoas bem preparadas fisicamente e ter mais dificuldade para classificar a intensidade da actividade, já que não estariam acostumados ao exercício regular.
 

 

A escala tradicional usada para medir a actividade intensa pode ser inadequada para adultos sedentários, observaram os investigadores. «Os dados reforçaram a noção de que a maioria dos adultos sedentários de meia-idade não é capaz de realizar actividade física intensa, no sentido tradicional», informaram os investigadores.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.