Como os pensamentos depressivos são preservados?

Estudo publicado no “Journal of Affective Disorders”

06 novembro 2015
  |  Partilhar:
Os pensamentos depressivos são mantidos por longos períodos de tempo nos indivíduos com depressão e esta duração extensa pode reduzir a quantidade de informação que estes pacientes são capazes de manter, sugere um estudo publicado no “Journal of Affective Disorders”.
 
Os indivíduos com depressão ou mesmo aqueles saudáveis com humor deprimido podem ser afetados por pensamentos depressivos. “Sabemos que os pensamentos negativos tendem a perdurar mais nos indivíduos com depressão. Contudo, este estudo demonstra que estes pensamentos, desencadeados por estímulos ambientais, podem persistir até a ponto de impedirem a capacidade das pessoas manterem uma linha de raciocínio”, revela, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, Bart Rypma.
 
Para o estudo os investigadores da Universidade do Texas, nos EUA, recrutaram 75 universitários, 30 dos quais tinham sintomas depressivos e 45 não apresentavam este tipo de sintomas. Todos os participantes foram convidados a reagir a afirmações que continham pensamentos depressivos, como “Estou triste” ou “As pessoas não gostam de mim”, ou ainda informação neutra. Posteriormente os participantes foram convidados a memorizar linhas de números.
 
Os indivíduos com pensamentos depressivos esqueciam-se de mais números, comparativamente com aqueles sem estes pensamentos quando respondiam a frases com informação negativa. Os indivíduos com humor depressivo a quem lhe foi fornecido primeiro o pensamento depressivo, lembravam-se de menos 31% dos números, do que aqueles sem humor depressivo ou aqueles com depressão mas que memorizaram os números antes de terem contacto com frases depressivas. 
 
“Todos temos uma quantidade fixa de informação que conseguimos guardar na memória de uma só vez. O fato dos pensamentos depressivos não parecerem ir embora quando entram na memória explica certamente por que motivo os indivíduos deprimidos têm dificuldade em se concentrarem ou de recordarem factos do dia-a-dia. Esta pré-ocupação da memória com pensamentos depressivos também pode explicar porque os pensamentos mais positivos estão ausentes na depressão; simplesmente porque não há espaço suficiente para eles”, explicou, o líder do estudo, Nick Hubbard.
 
Os autores sugerem que esta maior dedicação dos recursos de memória aos pensamentos depressivos e, consequentemente, uma baixa capacidade de manter os pensamentos positivos na memória, pode ser a chave para compreender como a depressão se desenvolve e continua ao longo da vida de um indivíduo.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.