Como é que o exercício físico protege o cérebro da demência?

Estudo publicado na revista “Translational Psychiatry”

27 julho 2017
  |  Partilhar:
Um novo estudo desvendou a forma como o exercício físico beneficia o metabolismo cerebral e memória.
 
Sabemos já que o exercício físico é benéfico na prevenção da deterioração cognitiva e demência numa idade mais avançada. 
 
O estudo conduzido por uma equipa de investigadores da Universidade Goethe em Frankfurt, Alemanha, propôs-se analisar os efeitos do exercício físico regular sobre o metabolismo cerebral e memória de 60 indivíduos com idades compreendidas entre os 65 e os 85 anos.
 
A equipa avaliou todos os parâmetros relacionados com a movimentação nos participantes, bem como o estado cardiopulmonar e desempenho cognitivo. A estrutura e metabolismo cerebral dos participantes foram igualmente medidos através de tomografia por ressonância magnética e espectroscopia por ressonância magnética.
 
Os participantes foram posteriormente convidados a praticarem 30 minutos de bicicleta, três vezes por semana e durante um período de 12 semanas. As sessões foram adaptadas ao desempenho físico de cada participante.
 
Após as 12 semanas, os participantes foram submetidos a mais exames para verificar o efeito do exercício físico sobre o metabolismo cerebral, desempenho cognitivo e estrutura cerebral dos mesmos. A capacidade física dos participantes foi também avaliada, como consequência do treino efetuado.
 
Tal como era esperado, o exercício físico praticado influenciou o metabolismo cerebral dos participantes através da prevenção do aumento do metabolito colina. Este metabolito tem tendência a aumentar quando se dá a perda de células nervosas, que ocorre normalmente em pacientes com a doença de Alzheimer. 
 
O treino de 12 semanas causou uma estabilidade nos níveis de colina nos participantes, algo que não se verificou no grupo de controlo, cujos participantes sofreram um aumento nos níveis de colina.
 
Foi igualmente verificado que a forma física dos participantes melhorou, em consequência do exercício físico praticado, através de uma melhor eficácia cardíaca.
 
Como conclusão, o exercício físico não só beneficia a forma física, mas também protege as células
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar