Comissários de bordo não correm maior risco de morte

Estudo analisa doenças mais frequentes da tripulação de uma companhia aérea

19 maio 2003
  |  Partilhar:

A tripulação de aviões comerciais enfrenta vários riscos inerentes à própria profissão, incluindo a exposição à radiação cósmica e alterações no ciclo biológico dia/noite, provocado pela constante mudança de fuso horários.
 

 

Com o objectivo de compreender melhor os tipos de riscos de mortalidade enfrentados por esses profissionais, uma equipa de investigadores norte-americana avaliou todas as causas de morte em tripulações de empresas aéreas comerciais. Todos trabalharam numa das duas maiores empresas aéreas alemãs por um período, no mínimo, seis meses, entre 1953 e 1997.
 

 

Em relação ao cancro, os cientistas verificaram que os comissários tiveram um risco menor que a população em geral. No entanto, adiantaram os investigadores, «parece prematuro concluir agora que a tripulação tem um risco geral de cancro substancialmente diferente da população em geral, pois o grupo do estudo era muito jovem e seria necessário um acompanhamento a longo prazo».
 

 

Quanto ao risco de mortalidade por doença cardiovascular para tripulantes (quer fosse do sexo masculino ou feminino) foi surpreendentemente baixo, informou a equipa. «É uma indicação clara de um efeito produzido pela boa situação de saúde dos trabalhadores, em que a selecção para o emprego e o acompanhamento levam a uma prevalência muito baixa de factores de risco de doenças cardiovasculares como obesidade e hipertensão», acrescentou a equipa.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.