Comer lentamente pode impedir o aumento de peso excessivo

Estudo publicado na revista “Pediatric Obesity”

12 janeiro 2016
  |  Partilhar:

Esperar 30 segundos entre cada porção de alimentos ingerida permite que as crianças percebam quando já não têm fome. Segundo o estudo publicado na revista “Pediatric Obesity”, esta medida pode ajudar a prevenir o aumento de peso excessivo nas crianças.
 

O estudo realizado pelos investigadores da Universidade da Califórnia, nos EUA, tinha como objetivo minimizar a quantidade de alimentos ingeridos pelas crianças antes do seus estômagos informarem o cérebro que não tinham mais fome, o chamado reflexo de saciedade. Este sinal demora habitualmente 15 minutos a aparecer. Contudo, na sociedade moderna, as refeições tendem a ser consumidas num tempo bastante menor.
 

Com o intuito de testar quão eficaz era a adoção de refeições lentas na deteção da sensação de saciedade e na perda de peso, os investigadores, liderados por Geert Schmid-Schonbein, monitorizaram os hábitos alimentares de 54 crianças com idades compreendidas entre os seis e os 17 anos.
 

De forma a evitar o consumo excessivo de alimentos, os estudantes foram convidados a fazer intervalos de 30 segundos entre cada porção de alimentos ingerida. Esta espera permitia que os participantes percebessem quando já não tinham fome. Foi também pedido aos estudantes para que bebessem um copo de água antes das refeições e que evitassem fazer pequenos lanhes entre estas.
 

Os estudantes foram assim divididos em dois grupos: os que comiam lentamente (grupo compatível) e seguiam as recomendações e aqueles que não o faziam (grupo não compatível). Estes dois grupos foram comparados com um terceiro grupo de controlo.
 

O estudo apurou que o peso dos participantes do grupo compatível diminui entre 2 a 5,7% e 3,4 a 4,8% após seis meses e um ano, respetivamente. Por outro lado, o peso dos estudantes incluídos no grupo não compatível aumentou entre 4,4 a 5,8 % e 8,3 a 12,6% após seis meses e um ano, respetivamente. O peso dos participantes do grupo de controlo aumentou entre 6,5 e 8,2% após um ano.
 

Geert Schmid-Schonbein defende que esta abordagem de ingestão mais lenta dos alimentos tem a vantagem de ser sustentável ao longo do tempo, contrariamente à maioria das dietas. Esta não necessita de alterações na dieta numa base diária e não impede o consumo de alimentos favoritos. Adicionalmente pode ser aplicada a qualquer contexto cultural ou étnico.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.