Comer bem em tempos de crise

Direcção-Geral de Saúde avança com medidas

14 abril 2009
  |  Partilhar:

O director-geral da Saúde, Francisco George, disse, em entrevista à agência Lusa, que existem "casos pontuais" de crianças com fome devido à crise, mas “ainda não constituem um problema de dimensão preocupante".

 

Em tempos de crise económica, as preocupações das autoridades de saúde abarcam sobretudo três áreas: alimentação das famílias, em particular das crianças, saúde mental (ansiedade, stress, depressão e doenças do foro psiquiátrico) e acesso igualitário aos serviços de saúde.

 

O "primeiro eixo de alerta" diz respeito às questões ligadas à alimentação, disse à Lusa Francisco George, acrescentando que "é preciso assegurar que os portugueses comam bem, de forma equilibrada e com menos custos".

 

Por isso mesmo, a Direcção-Geral de Saúde (DGS) solicitou à Plataforma contra a Obesidade, que reúne especialistas em nutrição, que preparasse "um conjunto de menus saudáveis, equilibrados e de baixo custo que pudessem ser utilizados pelas famílias com mais dificuldades".

 

Os menus vão estar disponíveis em todas as unidades de saúde pública, nos serviços de aconselhamento nesta área e através de todos os médicos, principalmente os de família, que vão poder aconselhar os utentes sobre medidas simples que assegurem uma alimentação adequada.

 

Também de modo a prevenir situações de má alimentação nas crianças, sobretudo nas que estão em idade escolar, a DGS já contactou o Ministério da Educação para, no caso de ser necessário, as cantinas das escolas estarem abertas mais tempo, incluindo nas férias, "servindo refeições de uma forma equilibrada".

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.