Combinação de antibióticos eficaz no tratamento de artrite reactiva induzida por Chlamydia

Estudo publicado no “Arthritis and Rheumatism”

02 maio 2010
  |  Partilhar:

A combinação de antibióticos é eficaz no tratamento de artrite reactiva induzida por Chlamydia, revela um estudo publicado no “Arthritis and Rheumatism”.

 

A artrite reactiva, também conhecida como “síndrome de Reiter”, é uma doença auto-imune que se desenvolve em resposta a uma infecção ocorrida em qualquer parte do organismo. Este tipo de artrite é vulgarmente causado pela infecção de uma bactéria, a Chlamydia trachomatis, que é transmitida através do contacto sexual, ou a Chlamydia pneumoniae, que pode provocar infecção respiratória. Estes microrganismos migram do local inicial da infecção - normalmente o trato genito-urinário ou respiratório - através do sangue para o tecido da articulação. Como resultado, os pacientes que sofrem deste tipo de patologia sentem habitualmente dor e inchaço nas articulações sacroilíacas, joelhos, tornozelos e pés.

 

Estudos anteriores já haviam demonstrado que a presença da Chlamydia metabolicamente activa nas articulações dos pacientes provoca inflamação, anos após a infecção inicial. De forma a investigar se os antibióticos poderiam tratar a artrite reactiva induzida por Chlamydia, os investigadores da University of South Florida College of Medicine, nos EUA, contaram com a participação de 42 indivíduos que foram aleatoriamente submetidos, durante cerca de seis meses, a um dos seguintes três tratamentos: rifampicina e doxiciclina, rifampicina e azitromicina ou um placebo.

 

O estudo revelou que a combinação de antibióticos melhorou significativamente o inchaço e a dor nas articulações. Os investigadores constataram que houve remissão completa da doença em cerca de 22% dos pacientes que foram submetidos à combinação de antibióticos. No entanto, a remissão da doença não foi observada em nenhum dos pacientes do grupo de controlo. Adicionalmente, houve um maior número de pacientes que apresentaram resultados negativos para a presença da Chlamydia em amostras de sangue ou de tecido da articulação após o tratamento combinado.

 

Em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Markus Rihl, revelou que “estes resultados positivos obtidos com a combinação de antibióticos são muito promissores e poderão abrir uma nova porta não só para o tratamento da artrite reactiva induzida por Chlamydia como para a espondilartrite induzida por esta bactéria.”

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.