Combate à obesidade: vibrações de corpo-inteiro promissoras

Estudo publicado na “Endocrinology”

21 março 2017
  |  Partilhar:
Um novo estudo conduzido por uma equipa de investigadores demonstrou que um tipo de exercício muito leve conhecido como vibrações de corpo inteiro poderá ser tão eficaz como o exercício físico.
 
Muitas pessoas sentem dificuldades em praticarem exercício físico regular, o que contribui para a obesidade e o desenvolvimento da diabetes. As vibrações de corpo inteiro (VCI) são uma forma de exercício muito leve, que transmitem energia ao corpo, fazendo os músculos contraírem-se e relaxarem múltiplas vezes a cada segundo.  
 
Os investigadores liderados por Meghan McGee-Lawrence, da Universidade de Augusta, EUA, decidiu investigar de perto o potencial das VCI.
 
Para o efeito, a equipa usou ratinhos com cinco semanas de idade, sendo que metade eram ratinhos normais e a outra metade não respondia geneticamente à leptina, que é uma hormona que ajuda a provocar a sensação de saciedade. Os animais sem uma resposta à leptina são mais suscetíveis de comer em demasia e assim de serem obesos e desenvolverem diabetes.
 
Ambos os tipos de ratinhos foram divididos em três grupos experimentais: um grupo ao qual foram atribuídos 20 minutos diários de VCI, um grupo ao qual foram dados 45 minutos por dia de exercício físico numa passadeira e ao último grupo não coube qualquer exercício, apenas sedentarismo.
 
Após terem tido uma semana para se adaptarem aos equipamentos, os ratinhos iniciaram o regime de 12 semanas de exercício físico, tendo sido pesados semanalmente.
 
No final do ensaio, os ratinhos geneticamente obesos e diabéticos evidenciaram resultados semelhantes tanto na passadeira como com as VCI. Os ratinhos obesos engordaram menos após terem feito exercício físico na passadeira e recebido VCI do que os ratinhos obesos do grupo sedentário, embora estivessem mais pesados do que os ratinhos normais.
 
Tanto o exercício físico como as VCI fizeram aumentar a massa muscular e melhoraram a sensibilidade à insulina nos ratinhos obesos. As VCI conseguiram reproduzir os benefícios do exercício físico sobre a saúde muscular e óssea. 
 
“O nosso estudo é o primeiro a demonstrar que as vibrações de corpo inteiro poderão ser tão eficazes como o exercício no combate a algumas das consequências negativas da obesidade e diabetes”, comentou a autora principal do estudo que acrescentou ainda que as VCI fizeram aumentar também a formação óssea global.
 
Embora o método  das VCI não constitua uma substituição do exercício físico, poderá ser importante em pessoas que não podem praticar exercício físico suficiente ou mesmo nenhum. O próximo passo será o teste em humanos.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.