Codeína administrada a crianças pode ser fatal

Estudo de caso alerta para situação

23 agosto 2009
  |  Partilhar:

O uso de analgésicos de codeína após a cirurgia de remoção das amígdalas pode provocar a morte de crianças que são portadoras de uma anomalia genética, segundo um estudo de caso publicado na revista “New England Journal of Medicine”.

 

Gideon Koren, pediatra e professor de Toxicologia da University of Western Ontario, em Toronto, Canadá, constatou esse risco após a morte de uma criança de dois anos depois de ter sido submetida a uma amigdalectomia.

 

A criança foi medicada com codeína após a intervenção cirúrgica. Na segunda noite após a cirurgia apresentou febre e morreu na manhã seguinte.

 

No estudo de caso, Gideon Koren refere que a mãe da criança administrou apenas as doses prescritas de codeína em xarope.

 

Mas, após exames, o médico verificou que a criança era portadora de um gene que acelera o metabolismo da codeína. Segundo o especialista, essa anomalia leva a que o organismo produza níveis muito elevados de morfina, facto que pode ser fatal em determinados casos, como o de esta criança.

 

De acordo com o artigo, estima-se que 1% dos caucasianos seja portador deste gene, enquanto nos negróides essa taxa sobe para os 30%. "Isso mostra a necessidade de manter as crianças em observação no hospital durante, pelo menos, 24 horas" após a cirurgia, ressalta o especialista na nota publicada no sítio da  University of Western Ontario.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.