Cirurgia de redução de estômago: familiares também perdem peso

Estudo publicado nos “Archives of Surgery”

21 outubro 2011
  |  Partilhar:

Os familiares de pacientes que se submeteram a cirurgia bariátrica (de redução do estômago) para perda de peso também podem perder alguns quilos, bem como melhorar a alimentação e exercitarem-se mais, revela um estudo publicado nos “Archives of Surgery”.

 

Segundo o estudo, realizado por investigadores da Stanford University School of Medicine, EUA, um ano após a cirurgia dos 35 pacientes, os seus familiares reduziram o peso numa média de 8 quilos.

 

Além disso, muitas das crianças dessas famílias pareciam ter beneficiado através da proximidade com o paciente, dado apresentarem um menor índice de massa corporal do que seria esperado. O estudo observou ainda que as mulheres acima do peso, com uma dieta tradicional e sob supervisão médica, perderam entre 2% e 5% do peso corporal durante 12 meses. Durante o mesmo período de tempo, tanto mulheres quanto homens obesos nas famílias dos pacientes submetidos a cirurgia perderam 3% do peso corporal total.

 

No estudo, liderado por Gavitt Woodard, foram avaliados 50 adultos e crianças que coabitavam com os pacientes, mas também os acompanhavam às consultas, onde receberam aconselhamento sobre dieta saudável e estilo de vida. Estas sessões também definiram metas diárias para o exercício físico e destacaram a importância de uma boa noite de sono, consumo moderado de álcool e menos tempo a ver televisão.

 

Passado um ano, não só os membros adultos obesos da família perderam vários quilos, mas também diminuíram centímetros do perímetro abdominal. A perda de peso entre os membros não obesos da família não foi significativa e o perímetro abdominal manteve-se normal. Mas o número de bebidas alcoólicas consumidas pelos membros adultos da família, independente do peso, diminuiu acentuadamente.

 

A investigação concluiu que os membros adultos da família tiveram mudanças significativas nos seus hábitos alimentares, com uma alimentação menos emocional e descontrolada. Os adultos e as crianças também mostraram um aumento substancial dos níveis de actividade física.

 

Em comunicado de imprensa, os autores do estudo referem que as mudanças comportamentais podem ser “contagiosas”, exemplificando com o facto de vários estudos revelarem que as pessoas estão mais propensas a deixar de fumar se os seus cônjuges o fizerem, ou a tornarem-se obesas se um amigo se torna obeso.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.