Cirurgia combinada com quimioterapia poderá salvar sete mil vidas por ano

Estudo recomenda alterações no tratamento do cancro do pulmão

03 junho 2003
  |  Partilhar:

A combinação entre cirurgia e quimioterapia em casos de cancro do pulmão poderá salvar anualmente sete mil pessoas em todo o mundo, conclui um estudo apresentado segunda-feira, que recomenda alterações no tratamento do mais devastador dos cancros.
 

 

O estudo, que analisou 1.867 pessoas de 33 países, revelou que os doentes que se submetem a uma quimioterapia após uma cirurgia para os tumores do pulmão têm maiores probabilidades de sobrevivência que aqueles que não beneficiam deste tratamento.
 

 

A sobrevivência prolongou-se em 5,1 por cento nos pacientes que seguiam os dois tratamentos, «o que é bastante significativo para recomendar a quimioterapia após a cirurgia», explicou Thierry Le Chevalier, que dirigiu o trabalho.
 

 

Entre os pacientes tratados com quimioterapia depois da cirurgia, 70 por cento estavam vivos dois anos mais tarde e 45 por cento cinco anos mais tarde, contra respectivamente 67 e 40 por cento no grupo de pacientes estudados que apenas tinham sido sujeitos a cirurgia.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.