Cirurgia bariátrica diminui risco de cancro da mama de predisposição genética

Apresentação no 36º encontro da Soc. Americana de Cirurgia Bariátrica e Metabólica

13 novembro 2019
  |  Partilhar:
Investigadores americanos da Cleveland Clinic revelaram que a cirurgia bariátrica ajudou a reduzir o risco de cancro da mama em pacientes com predisposição genética.
 
Para o estudo foram observados dados de 1.670.035 pacientes com um Índice de Massa Corporal superior a 35 entre 2010 e 2014.
 
A incidência de cancro foi comparada entre o grupo de controlo de mais de 1.400.000 pacientes que não foram submetidos à cirurgia bariátrica e 246.668 que foram.
 
Os investigadores descobriram que a incidência de cancro da mama entre os pacientes com predisposição genética, com um IMC acima de 35 e que não recorreram à cirurgia, era de 18% contra 7,4% dos pacientes operados.
 
Os dados revelaram também que a taxa de malignidade era 2,5 vezes superior sem a cirurgia.
 
Foi ainda observado que o risco de desenvolver qualquer cancro, com um IMC acima de 35 e sem a referida cirurgia de perda de peso, era de 20%.
 
A co-autora do estudo Emanuele Lo Menzo afirma: “A nossa descoberta sugere que a cirurgia bariátrica pode prevenir significativamente o desenvolvimento de cancro nos pacientes com um risco mais elevado que o resto da população, mesmo naqueles com predisposição genética”.
 
Segundo a Sociedade Americana de Cancro, ter mais tecido de gordura aumenta a probabilidade de desenvolver cancro da mama, pois aumenta os níveis de estrogénio.
 
O excesso de peso e obesidade estão ainda ligados a 13 tipos de cancro responsáveis por cerca de 40% de todos os cancros diagnosticados nos EUA.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar