Cirurgia bariátrica associada à redução de eventos cardiovasculares e mortes

Estudo publicado no “Journal of the American Medical Association”

06 janeiro 2012
  |  Partilhar:

Os indivíduos obesos submetidos a uma cirurgia bariátrica apresentam uma menor incidência de morte cardiovascular, um menor risco de enfarte agudo do miocárdio e de acidente vascular cerebral, sugere um estudo publicado no “Journal of the American Medical Association”.

 

A maior parte dos estudos epidemiológicos já tinham demonstrado que a obesidade está associada com um aumento dos eventos cardiovasculares e morte. A perda de peso pode proteger contra eventos cardiovasculares mas, de acordo com os autores do estudo, ainda não existem evidências sólidas.

 

Para este estudo, os investigadores da University of Gothenburg, na Suécia, analisaram os dados de 2.010 indivíduos obesos que tinham sido submetidos a uma cirurgia bariátrica e 2.037 que não tinham submetidos a esta intervenção, recebendo o tratamento habitual. Os autores pretendiam testar a hipótese que a cirurgia bariátrica estava associada a uma redução da incidência de eventos cardiovasculares e também analisar a relação entre as alterações do peso e a ocorrência de eventos cardiovasculares.

 

Os investigadores constataram que durante o período de acompanhamento, que teve uma duração média de 14,7 anos, 28 indivíduos que tinham sido submetidos à cirurgia bariátrica morreram de problemas cardiovasculares, em comparação com 49 participantes do grupo de controlo. No total, ocorreram 234 eventos cardiovasculares no grupo de controlo e 199 nos pacientes submetidos à cirurgia.

 

O estudo revelou que a cirurgia bariátrica estava associada com uma redução do número de mortes por enfartes agudos do miocárdio fatais. Esta cirurgia também estava associada com uma menor incidência de acidentes vasculares cerebrais fatais e totais.

 

Contudo, não se verificou, em nenhum dos grupos, nenhuma associação entre a alteração do peso e a ocorrência de eventos cardiovasculares. Os autores sugerem que esta falta de associação pode estar relacionada com um poder estatístico inadequado para detetar esta relação e que outros motivos podem explicar estes resultados.

 

Os autores do estudo, liderados por Lars Sjostrom, revelaram, em comunicado de imprensa, que “em conclusão, estes resultados - juntamente com as nossas associações, anteriormente reportadas, entre a cirurgia bariátrica e os resultados positivos em relação às alterações do peso a longo prazo, como fatores de risco cardiovascular, qualidade de vida, diabetes, cancro e mortalidade – demonstraram que esta cirurgia apresenta vários benefícios e alguns deles são independentes do grau de perda de peso induzido pela cirurgia”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.