Circuncisão masculina pode reduzir risco de infecção por HIV

Estudo da OMS divulgado na revista

12 julho 2006
  |  Partilhar:

Public Library of Science Medicine Especialistas e investigadores da Organização Mundial de Saúde (OMS) consideram que a circuncisão poderá ser um instrumento importante no combate à Sida, reduzindo grandemente o número de homens infectados. Num estudo, publicado na revista "Public Library of Science Medicine", os especialistas dizem que se todos os homens se submetessem à circuncisão nos próximos 10 anos poderia evitar-se dois milhões de novas infecções e cerca de 300 mil mortes provocadas pela Sida. Em termos globais, o procedimento reduziria as infecções em cerca de 37%. Os cientistas justificam que nos homens circuncidados o risco de infecção reduz-se porque o prepúcio é formado por células que são mais sensíveis à infecção. Além disso, acrescentam, o vírus da Sida pode sobreviver muito melhor no ambiente quente e húmido que proporciona a parte inferior do prepúcio. No entanto, os cientistas advertem que a questão deve ser abordada com cautela. "A circuncisão por si só não pode controlar a epidemia da Sida em África. Os homens circuncidados também podem apanhar a infecção, ainda que o risco seja muito mais baixo", assinalam. Fontes: Lusa e Imprensa Internacional MNI- Médicos na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.