Cinco segundos que podem salvar a vida

Steve Redgrave apoia jovens diabéticos nas Olimpíadas dos Sentidos

23 junho 2003
  |  Partilhar:

Que relação existe entre os cinco aros olímpicos, os cinco sentidos, as cinco medalhas de ouro nos jogos olímpicos de Steve Redgrave e os cinco segundos que o teste para diabéticos demora a dar os resultados?
 

 

Aparentemente nenhuma, mas foi com base nesta coincidência que a empresa farmacêutica Jonhnson & Johnson idealizou as Olimpíadas dos Sentidos, uma iniciativa que juntou recentemente no Parque das Nações cerca de 30 jovens diabéticos para várias provas relacionadas com os sentidos humanos.
 

 

Na prova da visão, os participantes identificaram, em apenas cinco segundos, imagens dos cinco continentes, enquanto que os sons característicos dos cinco continentes foram o tema da prova de audição. O tacto foi avaliado através da tentativa de adivinhar objectos dentro de um saco fechado, isto depois de aprenderem como massajar as mãos com um massagista profissional. Para testar o olfacto, os jovens tinham de reconhecer algumas essências. A prova do sabor prometia ser muito agradável, pois aqui os participantes tinham oportunidade de provar diferentes sumos com o objectivo de identificar as frutas.
 

 

No final deste percurso, houve uma última prova que consistiu numa competição de remo com Sir Steve Redgrave, o primeiro atleta olímpico a receber cinco medalhas de ouro em cinco Jogos Olímpicos consecutivos. Em 1997, foi-lhe diagnosticada diabetes, o que não o impediu de participar uma última vez na competição olímpica, em Sidney 2000, e trazer para casa mais uma medalha de ouro.
 

 

Actualmente Steve Redgrave tem vindo a ajudar jovens diabéticos em todo o mundo, incentivando-os à prática desportiva e, principalmente, motivando-os a seguir o seu exemplo, explicando que a diabetes não os deve impedir de atingir os seus sonhos. Nestas ocasiões, Steve Redgrave partilha a sua experiência no uso de um sistema para os diabéticos controlarem os níveis de glucose no sangue, que permite obter resultados em apenas cinco segundos, sem que seja necessário fazer o teste sem a tradicional picada no dedo.
 

 

 

Todos os dias, milhares de pessoas com diabetes necessitam de fazer vários testes diários para controlarem a doença. Sobretudo nas pessoas mais jovens, este controlo diário é fundamental para dosear a medicação e verificar a evolução da doença. No entanto, nem sempre os testes são feitos com a frequência recomendada pelo médico. Uma das razões pela qual os doentes evitam os testes é pelo incómodo repetido de «picar» os dedos e a dor que essa picada causa. Para Steve Redgrave, «a grande vantagem deste sistema é permitir fazer os testes de forma praticamente indolor. É uma grande inovação e uma grande conquista para as pessoas com diabetes.»
 

 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.