Cientistas portugueses detectam cancro da tiróide mais agressivo

Estudo vai ser publicado no Journal of Clinical Endocrinology Metabolism

04 janeiro 2006
  |  Partilhar:

Uma investigação sobre tumores da tiróide descobriu uma alteração molecular que torna alguns destes cancros mais agressivos. O trabalho, desenvolvido no Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (Ipatimup), encontrou um rearranjo de partes dos cromossomas 2 e 3 numa determinada variante do tumor, o que faz com que as células percam a sua actividade protectora. O artigo correspondente vai ser, em Janeiro, capa da publicação científica norte-americana Journal of Clinical Endocrinology Metabolism.Dentro dos 40 doentes com variante folicular que a equipa do Ipatimup estudou, mais de um terço apresentavam o rearranjo de genes. E, nestes casos, esta alteração veio a revelar-se como um factor de mau prognóstico. Verificou-se uma maior invasão vascular, logo uma maior agressividade. Uma vez que este tipo de cancro da tiróide aparece sobretudo em indivíduos mais novos, os investigadores equacionam ainda a hipótese de este ser um tumor de progressão mais rápida. O próximo passo da investigação é tentar perceber as implicações clínicas desta descoberta. Fonte: Diário de Notícias MNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.