Cientistas portugueses analisam relação entre exercício físico e doenças

Estudo quer perceber benefícios e riscos

08 abril 2009
  |  Partilhar:

Numa área em que existe pouca literatura científica, investigadores portugueses estão a estudar a relação entre o exercício físico e diversas patologias celulares.

 

Trata-se de uma pesquisa crucial para perceber os benefícios e riscos do exercício em diferentes condições clínicas. “Queremos perceber se o exercício pode ser benéfico em determinadas patologias e, em caso afirmativo, determinar qual o melhor tipo de exercício. Por outro lado, queremos perceber se a prática de exercício reduz ou agrava as alterações provocadas pelos fármacos utilizados para o tratamento dessas mesmas patologias.

 

Os resultados desta investigação serão úteis para a prescrição do exercício adequado a cada patologia ou para precaver casos clínicos de toxicidade de certos medicamentos”, explica, em comunicado de imprensa, Paulo Oliveira, investigador do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da Universidade do Porto.

 

A equipa é constituída por investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto e da Universidade Fernando Pessoa, também no Porto.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.