Cientistas localizam gene da asma

Descoberta pode levar a novos meios de prevenção e tratamento

11 julho 2002
  |  Partilhar:

Cientistas britânicos e americanos localizaram um gene que pode ser o principal responsável pela maioria dos casos de asma. A descoberta pode levar a novos tratamentos para impedir o desenvolvimento da asma mesmo quando há sinais de uma reacção alérgica nos pulmões.
 

 

No momento, a única forma de tratar o problema é com o uso de medicamentos que suprimam a inflamação ou que provoquem a dilatação das vias respiratórias contraídas.
 

 

Investigadores do ingleses, em conjunto com um laboratório norte-americano, fizeram uma análise dos genes de 460 pares de irmãos e irmãs.
 

 

Os cientistas descobriram que a forma como os pulmões respondem a estímulos que podem causar a asma parecem ser controlados por uma área de material genético encontrado no cromossoma 20.
 

 

Novas análises revelaram que o gene nessa área, denominado ADAM33, tem um papel crucial para tornar as vias respiratórias dos pulmões ultra-sensíveis aumentando, assim, o risco de asma.
 

 

Os cientistas acreditam que o gene pode desempenhar um papel significativo em 40 por cento de todos os casos de asma.
 

 

Para o líder da investigação, Stephen Holgate, da Universidade de Southampes, esta é a primeira vez que uma análise ampla identifica um gene com um papel-chave no caso da asma. «A nossa investigação pode levar a formas totalmente novas de diagnosticar e tratar a doença o que vai beneficiar um grande número de pessoas que sofrem de asma, uma das doenças crónicas mais comuns nas crianças», disse Holgate em entrevista à Nature.
 

 

Donna Covey, da Campanha Nacional Contra a Asma na Grã-Bretanha, disse à BBC que «a descoberta leva a novas perguntas sobre a interacção dos genes da asma com o meio ambiente e factores de estilo de vida. Isso pode potencialmente permitir um tratamento melhor e mais antecipado das pessoas»
 

 

Na Grã-Bretanha, a asma afecta uma em cada cinco crianças e um em cada dez adultos. Suspeita-se que a doença esteja ligada a factores como frio, exercícios e exposição de substâncias que provoquem reacções alérgicas tais como ácaros, pêlo de animais, pólen e fungos.
 

 

A poluição do ar, inclusive o fumo de cigarros, infecções virais e mudanças na dieta alimentar também podem estar relacionadas com o problema. A doença é causada por uma reacção alérgica que leva à inflamação dos tecidos do pulmão. Com tudo isto, as vias respiratórias contraem-se, provocando sintomas como tosse, pieira e falta de ar.
 

 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.