Cientistas identificam gene associado ao cancro da mama

Anomalia genética é responsável por 60 p.c dos casos, revela estudo

07 outubro 2002
  |  Partilhar:

Investigadores norte-americanos identificaram um gene que ausente ou inactivo poderá explicar os cancros da mama de origem não hereditária, ou seja mais de 90 por cento dos casos, segundo os resultados de um estudo anunciados.
 

 

Estes investigadores descobriram um gene em falta ou inactivo em 60 por cento dos casos de cancro da mama examinados.
 

 

Este gene, a que chamaram DBC2, está entre os primeiros identificados como desempenhando um papel essencial na supressão dos tumores e cuja ausência está claramente associada aos cancros da mama de origem não hereditária.
 

 

A ausência do gene DBC2 (de "deleted in breast cancer", em português ausência do cancro da mama) poderá também desempenhar um papel em certos casos do cancro do pulmão, segundo um estudo que será publicado a 15 de Outubro na revista da Academia das Ciências norte-americana (PNAS).
 

 

Por outro lado, os investigadores do laboratório Cold Spring Harbor (Nova Iorque) e da Universidade estatal de Washington demonstraram que a produção da proteína DBC2 nas células cancerosas da mama tem a capacidade de matar as células doentes ou de parar a sua progressão.
 

 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.