Cientistas detectam possível catalisador da doença de Parkinson
02 junho 2002
  |  Partilhar:

Uma proteína existente na maioria das células cerebrais foi identificada como um possível catalisador da doença de Parkinson, revela um estudo que foi publicado na edição de Junho da revista Nature Medicine.
 

 

Em testes laboratoriais, quando a proteína cerebral alfa- sinucleína se combina com a dopamina nos neurónios pode desencadear a produção de moléculas de oxigénio tóxicas que matam as células nervosas, segundo uma equipa da Escola Médica de Harvard, liderada por Bruce A. Yankner.
 

 

Se este processo se verificar nos doentes da mesma forma que em laboratório, poderá colocar os cientistas no caminho certo para o desenvolvimento de terapias eficazes para a doença de Parkinson, sublinhou Yankner.
 

 

Contudo, o cientista acrescentou que é necessário debater se a actual utilização de dopamina no tratamento da doença não poderá ser prejudicial a longo prazo.
 

 

A proteína alfa-sinucleína está presente na maioria das células do cérebro e o seu funcionamento normal não é inteiramente conhecido, pensando-se que possa ter uma função protectora contra certos tipos de stress.
 

 

Segundo Bruce Yankner, na doença de Parkinson existem lesões nas células nervosas que parecem ser catalisadas pela conjugação entre esta proteína e outros químicos.
 

 

Por outro lado, os cientistas verificaram que algumas famílias com uma forma mutada da alfa-sinucleína apresentam uma tendência para desenvolver Parkinson.
 

 

"Ou seja, quando algo corre mal com esta proteína, isso parece ser suficiente para que a doença de Parkinson se desenvolva", sublinhou.
 

 

Se este quadro que os cientistas observaram em laboratório se repetir efectivamente nos doentes, os investigadores poderão desenvolver várias formas de tratar a doença.
 

 

As novas terapias podem passar por evitar que a alfa-sinucleína se combine com outras proteínas também envolvidas no processo, prevenir a sua acumulação nas células nervosas ou afastá-la da dopamina.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.