Cientistas descobrem enzima implicada na depressão pós-parto

Estudo publicado nos “Archives of General Psychiatry”

22 junho 2010
  |  Partilhar:

Um estudo alemão, publicado nos “Archives of General Psychiatry”, diz ter encontrado a razão pela qual as mulheres sofrem de depressão pós-parto.

 

Na primeira semana após o parto, cerca de 70% das mulheres sofrem do chamado "baby blues", com queixas que vão desde alterações de humor e ansiedade até falta de apetite e irritabilidade.

 

Mas, enquanto a maioria recupera em pouco tempo, 13% das mães continuam a apresentar esses sintomas após os primeiros meses do nascimento do bebé, condição já considerada depressão pós-parto.

 

Neste estudo, cientistas liderados por Julia Sacher, do Instituto Max Planck de Ciências Humanas Cognitivas e Cerebrais, de Leipzig, Alemanha, verificaram que, nos dias após o parto, a mãe apresenta níveis anormalmente baixos de estrogénio, ao mesmo tempo que aumentam, no cérebro, os níveis da enzima monoamina oxidase A (MAO-A).

 

Esta enzima bloqueia a produção cerebral dos neurotransmissores serotonina, dopamina e noradrenalina, responsáveis pelo bem-estar.

 

Os cientistas também verificaram que, em comparação com as mulheres que não tinham filhos ou que tinham tido o bebé há bastante tempo, nas recém-mamãs, os níveis da enzima MAO-A eram 43% mais elevados. Os níveis mais altos foram registados no quinto dia após o parto, coincidindo com o dia em que o humor das mães se encontrava no seu ponto mais baixo.

 

Em comunicado enviado à imprensa, a líder da investigação disse acreditar que os resultados do estudo poderão ter um grande impacto na prevenção e no tratamento de depressão pós-parto, nomeadamente na administração farmacológica, usando (ou desenvolvendo) fármacos que impeçam o aumento dos níveis da enzima em causa e aumentem os níveis das outras substâncias bloqueadas pela MAO-A.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.