Cientistas clonam primeiro gato

Depois de ovelhas, vacas e cabras é a vez de um animal doméstico

15 fevereiro 2002
  |  Partilhar:

Depois de ovelhas, ratos, vacas e cabras, os cientistas clonaram o primeiro animal de estimação, um gato. Apesar do animal já contar com dois meses de vida, a Universidade Texas A&M, autora desta proeza, não quis ainda fazer um anúncio oficial desta descoberta até se confirmar que o gato está de boa saúde e que é geneticamente idêntico ao original que lhe «emprestou» o seu material genético.
 

 

O primeiro gato clonado com sucesso foi baptizado de “Copy-cat” ou “Cc”(cópia de carbono ou papel-químico) e foi o único sobrevivente de 87 embriões utilizados na experiência - clonado pela técnica de “transferência nuclear”, a mesma utilizada para clonar a ovelha Dolly.
 

 

A técnica consiste em utilizar material genético de uma gata adulta que é, posteriormente, introduzido num ovócito de outra gata esvaziado do seu próprio material genético. O embrião resultante – o clone – foi inplantado no útero de uma terceira gata.
 

 

A confirmar-se esta notícia do The Wall Street Journal este será o primeiro animal doméstico a ser clonado, depois de vários animais de criação já terem as suas «cópias» genéticas.
 

 

A investigação genética na universidade texana foi financiada por John Sperling, um financeiro de 81 anos de idade que formou a Genetics Savings & Clone Inc., com a sua sede em College Station, Texas, para ajudar aos esforços de investigação. O valor injectado ronda os 3,5 milhões dólares
 

 

Em troca do financiamento para o projecto da A&M, a empresa tem a opção de licenciar com exclusividade qualquer tecnologia de clonagem de animais de estimação que for desenvolvida pela universidade, disse Sperling ao jornal.
 

 

Sperling planeia oferecer a técnica a indivíduos ricos que tentam substituir os seus animais queridos, mas também pretende usá-la para clonar animais de valor social, como os cães de busca e resgate.
 

 

Os proprietários de animais de estimação já estão a pagar a uma empresa para armazenar células dos seus animais de estimação, caso a clonagem destas espécies se torne uma realidade. Segundo o jornal, a Humane Society, importante sociedade de protecção animal dos EUA, é contra à clonagem de animais domésticos, devido ao risco de subrepopulação.
 

 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.