Cientista defende efeitos positivos da nicotina em doentes neurológicos

Investigador divulga trabalho de 20 anos no British Journal of Pharmacology

30 junho 2006
  |  Partilhar:

 

Um cientista chinês garante que a nicotina não só não prejudica a saúde dos fumadores, como também pode ser usada no tratamento de doenças como a de Alzheimer ou de Parkinson.
 

Zhao Baolu, membro da Academia Chinesa das Ciências, estuda, há 20 anos, os efeitos da nicotina tendo agora divulgado os resultados das suas investigações em várias publicações científicas, entre elas no British Journal of Pharmacology.
 

 

«Não sou a favor de que se fume porque há outros componentes do cigarro que prejudicam a saúde», como o alcatrão, salienta o cientista numa entrevista à agência espanhola EFE, na qual negou qualquer ligação das suas investigações a interesses das empresas tabaqueiras. E acrescenta: «A nicotina não é tóxica apenas vicia».
 

 

Zhao pede que os seus trabalhos não sejam mal interpretados: “não se trata de fumar para prevenir doenças neurológicas mas sim de usar a nicotina, em estado puro, em doses cientificamente calculadas e só em pacientes que precisem dela”. Esses pacientes seriam pessoas que tivessem começado a evidenciar sintomas de problemas neurológicos ou propensas a tê-los por herança genética.
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.