Ciência nas férias com Astronomia, Geologia e Biologia
02 agosto 2001
  |  Partilhar:

Para mostrar que no Verão a ciência pode acompanhar as praias e as noites quentes, a Agência Ciência Viva promove novas iniciativas de divulgação da Astronomia, Geologia e, este ano pela primeira vez, da Biologia.
 

 

"É possível estar de férias e de uma forma descontraída aproveitar o tempo de lazer para aprender mais sobre uma área que nos interessa mas que não faz habitualmente parte do nosso dia a dia", afirmou a directora da Agência Ciência Viva, Rosália Vargas, explicando o propósito destas três iniciativas estivais.
 

 

Este fim-de-semana serão lançadas oficialmente a sexta edição da Astronomia no Verão, no sábado no Marão, e a "estreia" da Biologia no Verão, no domingo na Foz do Douro, ambas com a presença do ministro da Ciência e da Tecnologia, Mariano Gago.
 

 

Oficialmente, porque muitas iniciativas já arrancaram, como é o caso de "As Bactérias na Praia", escolhida para marcar o lançamento da Biologia no Verão, com quase cem eventos previstos para Agosto e Setembro.
 

 

Até 14 de Agosto, vai estar montado um laboratório de análise junto às praias do Ourigo e das Pastoras (Foz do Douro), numa acção organizada pelo Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR), em colaboração com o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS).
 

 

"O laboratório vai estar dividido em duas salas. Uma equipada com microscópios e outra com os instrumentos necessários para fazer análises bacteriológicas à água do mar no local", explicou à Agência Lusa Adriano Bordalo e Sá, do CIIMAR.
 

 

O objectivo é, segundo o investigador, desmistificar junto do público a má imagem que têm as bactérias, a maioria das quais inócuas para a saúde.
 

 

Assim, os participantes nesta iniciativa vão poder acompanhar todo o processo de uma análise bacteriológica à água, inclusivamente a publicação dos resultados.
 

 

Aliás, as análises que estão a ser feitas no local (três vezes por dia) já revelaram, por exemplo, que a água da praia das Pastoras está imprópria para banhos, pois o nível de contaminação por coliformes fecais é muito superior ao permitido por lei.
 

 

"O problema é que como este local nem sequer está classificado como praia não há muito controlo e as pessoas continuam a tomar banho", sublinhou Bordalo e Sá, explicando que os riscos para a saúde vão desde dermatites, conjuntivites, diarreias até hepatites do tipo A ou E.
 

 

Alargar os programas de divulgação científica de Verão à Biologia era um desejo antigo da Agência Ciência Viva.
 

 

"A biologia é uma área muito do agrado do público e que permite actividades muito diversificadas, desde a zoologia à botânica", explicou Rosália Vargas.
 

 

De facto, o interesse do público já "esgotou" as inscrições para algumas actividades, como visitas a jardins botânicos.
 

 

"São locais que se encontram abertos ao público mas em que os visitantes beneficiam muito do acompanhamento de biólogos", sublinhou Rosália Vargas.
 

 

Aproveitar as noites longas do Verão para aprender mais sobre o céu e as estrelas é o objectivo da Astronomia no Verão, que conta este ano com mais de 650 acções distribuídas por 220 localidades de Portugal.
 

 

O arranque oficial, sábado, é no Observatório Astronómico do Marão, que reúne um grupo de astrónomos amadores e profissionais (Grupo Andrómeda), e cuja localização a 1390 metros de altitude o torna um local de condições excepcionais de observação.
 

 

Com mais de 350 acções programadas, a quinta edição da Geologia no Verão arranca oficialmente no dia 09 de Agosto, com uma visita guiada ao Convento de Mafra com base em textos do "Memorial do Convento" de José Saramago.
 

 

Os interessados podem obter mais informações sobre todas as acções previstas no âmbito destes três programas e inscrever-se através da Internet no endereço electrónico www.cienciaviva.mct.pt/home/ ou, por telefone, através do número azul 808 200 205.
 

 

"Todas as actividades são gratuitas e a maioria dirige-se a público de todas as idades", explicou Rosália Vargas, que sublinhou a importância de consultar os materiais de apoio disponíveis para cada actividade que dão aos participantes informações importantes como o tipo de vestuário ou calçado mais adequados.
 

 

A olhar para o céu, a visitar minas debaixo da Terra ou a estudar bactérias são esperados mais de 10.000 participantes nas edições de 2001 da Astronomia, Geologia e Biologia no Verão.
 

 

 

Lusa
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.