Chocolate negro e a produção de compostos anti-inflamatórios

Estudo da Universidade Estatal de Louisiana

21 março 2014
  |  Partilhar:

Os benefícios do chocolate negro são debatidos já há alguns séculos, mas só agora os investigadores da Universidade Estatal de Louisiana, nos EUA, descobriram que determinadas bactérias no estômago digerem o chocolate e fermentam-no em compostos anti-inflamatórios que são benéficos para o coração.
 

“Descobrimos que há dois tipos de microrganismos no estômago: os “bons” e os “maus”. Os microrganismos benéficos encontrados no estômago, nomeadamente as Bifidobacterium e as bactérias produtoras de ácido lático, fazem um festim com o chocolate. Quando se ingere chocolate negro, as bactérias crescem e fermentam-no e produzem compostos anti-inflamatórios”, referiu, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, Maria Moore.
 

O estudo apresentado na Reunião Nacional da Sociedade Química Americana apurou que, quando estes compostos anti-inflamatórios são absorvidos pelo organismo, diminuem a inflamação do tecido cardiovascular, reduzindo a longo prazo o risco de acidente vascular cerebral.
 

Neste estudo, os investigadores, liderados por John Finley, analisaram três cacaus diferentes através de um modelo do trato digestivo, composto por vários tubos de ensaio modificados para simular uma digestão normal. Posteriormente, os materiais não digeríveis foram expostos à fermentação anaeróbia, tendo para tal utilizado bactérias humanas fecais.
 

Os investigadores explicaram que o cacau contém vários compactos polifenólicos ou antioxidantes como a catequina ou a epicatequina, e uma pequena quantidade de fibra dietética. Estes dois componentes são pouco digeridos e absorvidos, mas quando chegam ao colon, sofrem a ação de determinados microrganismos.
 

Os autores do estudo constataram que a fibra é fermentada e os polímeros polifenólicos de grandes dimensões são metabolizados em moléculas mais pequenas, que são mais facilmente absorvidas. Estes polímeros mais pequenos têm uma atividade anti-inflamatória.
 

O estudo refere ainda que a combinação da fibra presente no cacau com os prebióticos pode melhorar a saúde global das pessoas e ajudar a converter os polifenóis do estômago em compostos anti-inflamatórios. Quando se digere prebióticos, a população de microrganismos benéficos do intestino aumenta e ganha vantagem sobre os microrganismos prejudiciais no intestino, como aqueles que causam problemas de estômago.
 

John Finley refere ainda que os benefícios do chocolate negro podem ser ainda aumentados se este for ingerido conjuntamente com frutas sólidas, como as romãs.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.