Chips com células humanas podem evitar experiências com animais

Japão vai desenvolver semicondutores de alta sensibilidade

17 agosto 2002
  |  Partilhar:

O Governo japonês vai desenvolver semicondutores de alta sensibilidade utilizando células embrionárias humanas, para testar substâncias tóxicas, eliminando os testes em animais, informaram fontes oficiais.
 

 

Uma equipa constituída por cientistas de vários organismos estatais, do Instituto de Tecnologia de Tóquio e fabricantes de produtos farmacêuticos e químicos vão desenvolver num máximo de cinco anos chips com células vivas com menos de um milímetro de tamanho, segundo o Ministério do Ambiente nipónico.
 

 

Entre os planos anunciados encontra-se o projecto de concepção de um sensor para identificação de substâncias contaminantes no ar utilizando células do pulmão humano e outro para medir toxinas por intermédio das células do fígado.
 

 

Os futuros chips biónicos (disciplina que conjuga biologia e electrónica) implicam o desenvolvimento de tecnologia para detectar a corrente eléctrica gerada pelas células humanas ao serem expostas a toxinas e outros químicos, ou às alterações quase imperceptíveis que essas substâncias produzem.
 

 

A nova tecnologia pretende substituir as experiências em animais, que são caras e produzem resultados válidos apenas para uma espécie, necessitando depois de comprovação por outros meios para serem aplicados em seres humanos.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.