Cheiros que afectam a memória

Lavanda relaxante e alecrim estimulante

03 abril 2002
  |  Partilhar:

O efeito calmante e sedativo do perfume de lavanda pode prejudicar a memória e a atenção, mas a propriedade estimulante do alecrim parece acentuar alguns aspectos do funcionamento mental, de acordo com uma equipa de investigadores do Reino Unido.
 

 

Os poderes benéficos da lavanda Lavendula vera ou Lavendula officinale) são conhecidos há milhares de anos. Usada para purificar o ar ou em banhos relaxantes, a lavanda adquiriu o estatuto de incrementar a inspiração. Mas também a de ter poderes de atracção sexual, assim como a de indutora de bons sonhos. Ao que parece, os poderes mágicos desta essência residem no facto de proporcionarem bem-estar.
 

 

A equipa liderada por Mark Moss, da Universidade de Northumbria, em Newcastle, avaliou 144 jovens adultos.
 

 

Parte dos voluntários foi colocado dentro de salas minúsculas sem qualquer cheiro característico, enquanto a outra parte do grupo foi conduzida a outros locais impregnados com aromas de alecrim e lavanda. Os participantes tiveram de fazer testes de atenção ou de tempo de reacção, de memória de longo prazo - como recordar palavras e identificar imagens) e exercícios de memória operacional, como lembrar uma série de números.
 

 

O resultado surpreende quem, até ao momento, acreditava nos poderes curativos da lavanda. Isto porque, os adultos que ficaram nas salas com cheiro a lavanda tiveram um pior desempenho nos testes de memória operacional do que o grupo que fez a experiência no ambiente inodor.
 

 

Ao contrário, os que foram submetidos ao aroma de alecrim demonstraram uma melhor memória a longo prazo que os outros que fizeram o teste nos locais sem nenhum tipo de odor.
 

 

O Alecrim ou Rosmarinus officinalis tem sido largamente difundido ao longo da história da humanidade. Dizem os homeopatas que um chá de alecrim antes de um exame ou de uma entrevista mantém a mente desperta, e que a inalação traz ânimo e alegria. Na verdade, os testes científicos também comprovaram as estas crenças populares.
 

 

Segundo o estudo, os resultados dos testes de humor feitos antes e depois dos adultos completarem os exercícios de memória revelaram que os que ficaram nos locais com perfume de lavanda e alecrim sentiam-se mais felizes no final da experiência.
 

 

Para Mark Moss não existem dúvidas: “os aromas naturais podem influir no desempenho mental”. Por isso, o investigador não teme em aconselhar aos estudantes umas inalações do perfume na noite anterior a um exame. “Como é obvio, o perfume não irá substituir o trabalho do aluno”, comentou o especialista.
 

 

Futuras utilizações
 

 

Moss, no entanto, considera os resultados do estudo pouco revolucionários, dado não ser possível criar uma dose instantânea. “Mas pode ser que usemos compostos naturais para melhorar nosso dia-a-dia.”
 

 

Por exemplo, o perfume de lavanda pode ser inadequado para automóveis ou outros veículos. Isto porque, explica o cientista, o odor pode diminuir os reflexos dos motoristas.
 

 

Mas deve ser usada para relaxar e descontrair – diminuindo a atenção do está à nossa volta, tal como concluiu o estudo. SE, ao contrário, precisa de estímulo e não quer beber um café, então cheire um pouco de alecrim.
 

 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.