Chá verde torna os idosos mais ágeis e independentes

Estudo publicado “American Journal of Clinical Nutrition”

08 fevereiro 2012
  |  Partilhar:

Os idosos que consomem chá verde regularmente podem ficar, ao longo do tempo, mais ágeis e independentes, dá conta um estudo publicado no “American Journal of Clinical Nutrition.”

 

O chá verde contém substâncias antioxidantes que podem ajudar a prevenir o dano celular que conduz ao aparecimento de doenças. A comunidade científica tem estudado o efeito do chá verde, nomeadamente, no colesterol ou no risco de desenvolvimento de certos tipos de cancro, tendo, até ao momento, encontrado resultados contraditórios.

 

Estudos anteriores também já tinham constatado que o consumo de chá verde estava associado à redução do risco de desenvolvimento de doenças ligadas à incapacidade funcional, como a osteoporose, distúrbios cognitivos e acidente vascular cerebral. Apesar da maioria dos especialistas acreditar que o risco de incapacidade funcional seria menor para os consumidores regulares de chá verde, não havia estudos, até à data, que comprovassem tal associação.

 

Neste estudo, os investigadores da Tohoku University Graduate School of Medicine, no Japão acompanharam 13.988 indivíduos com 65 anos ou mais de idade, durante três anos, com intuito de avaliar se os consumidores de chá apresentavam um menor risco de fragilidade e incapacidade à medida que envelheciam.

 

Os investigadores verificaram que os indivíduos que bebiam maiores quantidades de chá verde tinham um menor risco de desenvolver incapacidades funcionais, ou seja, problemas com a realização de tarefas diárias, ou necessidades mais básicas como vestir ou tomar banho.

 

O estudo constatou que 13% dos indivíduos que bebiam menos de uma chávena de café por dia desenvolveram incapacidade funcional, em comparação com os cerca de 7% dos participantes que consumiam pelo menos cinco chávenas de chá por dia. Estes participantes tinham uma probabilidade um terço menor de desenvolver incapacidade funcional, em comparação com aqueles que bebiam menos de uma chávena de chá por dia. Aqueles que consumiam, em média, três a quatro chávenas por dia apresentavam, segundo o estudo, um risco 25% menor.

 

Os indivíduos que consomem regularmente chá verde tendem a adotar uma dieta mais saudável, incluindo mais peixe, vegetais e fruta na sua alimentação, têm também um maior nível de educação, menores taxas de tabagismo, menos enfartes agudos do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais e uma melhor função cognitiva. Estes indivíduos são também socialmente mais ativos.

 

Mas mesmo tendo em conta todos estes fatores, os autores do estudo acreditam que, o consumo de chá verde está associado a um menor risco de incapacidade funcional, apesar de não ficar provado que é apenas o consumo de chá verde que protege contra a incapacidade funcional à medida que as pessoas envelhecem. Por outro lado, ainda não é conhecida a forma através da qual o chá verde protege contra este tipo de incapacidade. Mas os investigadores, liderados por Yasutake Tomata, dão conta de um estudo recente que revelou que os extratos de chá verde parecem ativar a força muscular das pernas das mulheres idosas.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.