Chá verde impede que HIV infecte células de defesa do corpo

Epigallocatechin Gallate dificulta primeiro passo do vírus

13 novembro 2003
  |  Partilhar:

O chá verde é uma verdadeira caixinha de surpresas. Depois de se ter descoberto os altos benefícios da bebida para doenças várias, a substância volta a ser alvo das atenções.
 

 

O principal componente do chá verde evita que o vírus da Sida se ligue às células T do sistema imunitário, o primeiro passo da infecção pelo HIV. Num artigo no Journal of Allergy and Clinical Immunology, os cientistas da Universidade de Tóquio, no Japão, explicaram como um composto presente no chá verde, chamado Epigallocatechin Gallate (ou EGCG) parece impedir que o vírus HIV se fixe à célula humana.
 

 

Com efeito antioxidante, o chá verde é rico nessa substância chamada EGCG que, segundo os cientistas, é responsável pela maioria dos benefícios da bebida --entre eles a prevenção do cancro e de doenças cardiovasculares.
 

 

A equipa liderada por Kuzushige Kawai conseguiu demonstrar, em laboratório, que o EGCG impede que as proteínas do HIV se liguem às moléculas CD4 das células T, componentes do sistema imunitário humano. Ou seja, o componente do chá verde liga-se ao «alvo» do HIV antes que o vírus o faça. No momento, existe a esperança de que o extracto de chá verde possa vir a ser utilizado como parte de terapias anti-HIV.
 

 

 

 

 

Mas a equipa japonesa não é a única a estudar os poderes do chá verde no sistema imunitário, uma outra investigação, que engloba cientistas norte-americanos e britânicos, está ainda a decorrer. No editorial que acompanhou a publicação do estudo, William Shearer, da Faculdade de Medicina de Baylor, no Texas (EUA), diz que sua equipa está a utilizar técnicas informáticas avançadas para definir a natureza da ligação entre o EGCG e a molécula CD4.
 

 

«Pode ser possível localizar o processo de ligação entre o EGCG e a CD4 e compará-lo ao da ligação entre o HIV e essa molécula para tentar explicar a instigante descoberta do dr. Kawai», disse Shearer. Segundo o cientista, o passo seguinte seria a criação de modelos moleculares de fármacos baseados no EGCG.
 

 

Embora os resultados sejam animadores, os investigadores não sugerem o uso do chá verde para conter a infecção pelo HIV ou como uma terapia alternativa aos medicamentos adoptados actualmente.
 

 

Antes restrito às lojas de produtos naturais, o chá verde já é facilmente encontrado nos supermercados. Preferido dos chineses, o chá verde tem a mesma origem do seu vizinho de prateleira, preto. Os dois e também o «ban chá», consumido mais pelos japoneses, são produzidos a partir da planta Camellia sinensis.
 

 

 

 

 

 

Jornalista
 

 

MNI-Médicos Na Internet
 

 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.