Chá preto tem mais flúor do que se pensava

Estudo da Medical College of Georgia

20 julho 2010
  |  Partilhar:

O chá preto, uma das bebidas mais consumidas no mundo, contém concentrações de flúor mais elevadas do que se pensava, refere um estudo do Medical College of Georgia, nos EUA, apresentado na International Association of Dental Research Conference, realizada em Barcelona, Espanha.

 

A maioria dos estudos publicados referem que, por cada litro de chá preto, há entre 1 a 5 miligramas de flúor, mas este novo estudo mostra que o teor pode ser mais alto, atingindo os 9 miligramas.

 

O flúor ajuda a prevenir cáries e a maioria das pessoas ingere uma quantidade segura, entre 2 a 3 miligramas por dia, seja através da água fluoretada, da pasta de dentes ou da alimentação. Contudo, o consumo excessivo de flúor durante um longo período pode conduzir a problemas ósseos, e os cientistas estimam que as pessoas tenham de ingerir um mínimo de 20 miligramas diários durante uma década para que o flúor constitua um perigo.

 

Neste estudo, a equipa liderada por Gary Whitford verificou que a concentração de flúor no chá preto é maior do que se pensava após a análise de dados de 4 pacientes com fluorose esquelética avançada, uma doença rara nos EUA, causada pelo consumo excessivo de flúor e caracterizada por dores articulares e danos nos ossos. Curiosamente, o elo entre estas pessoas era o consumo de quase dois litros da bebida por dia nas últimas décadas.

 

Os cientistas também constataram que a maioria dos estudos que aferiam os níveis de flúor no chá usava um método que não tinha em conta a quantidade do mineral que se combina com o alumínio para formar fluoreto de alumínio insolúvel – que não é detectável pelo eléctrodo de flúor. Os investigadores do Medical College of Georgia compararam então o antigo método com a técnica de difusão actualmente usada, que rompe a ligação entre o alumínio e o fluoreto, de modo a que todo o flúor das amostras de chá possa ser extraído e medido.

 

Com o novo método de análise, os investigadores compararem 7 marcas de chá preto dissolvido em água deionizada e constataram que a quantidade de flúor registada em cada amostra foi entre 1,4 e 3,3 vezes maior do que a registada pelo antigo método de cálculo.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.