Cesariana aumenta riscos de alergias nas crianças

Estudo realizado pelos investigadores do Henry Ford Department of Health Sciences

01 março 2013
  |  Partilhar:

Os bebés que nascem de cesariana são mais suscetíveis a desenvolver alergias por volta dos dois anos, comparativamente com aquelas que nascem de parto natural, dá conta um estudo apresentado no encontro anual da American Academy of Allergy, Asthma and Immunology.
 

Estes resultados vão ao encontro de estudos anteriores que já tinham demonstrado que os bebés nascidos de cesariana tinham, comparativamente com aqueles nascidos de parto natural, maior risco de desenvolver asma, alergia a alimentos e diarreia, durante os primeiros anos de vida.
 

Neste estudo, os investigadores do Henry Ford Department of Health Sciences, nos EUA, decidiram avaliar o papel da exposição precoce aos alergénios e como esta exposição afetava a associação entre a cesariana e a produção de um anticorpo pelo sistema imunitário, a imunoglobulina E (IgE), que está associado ao desenvolvimento de alergias e asma.
 

Os investigadores, liderados por Christine Cole Johnson, contaram com a participação de 1.258 recém-nascidos os quais foram sujeitos a quatro avaliações: quado tinham um mês de idade, aos seis meses, ao um ano e aos dois anos. Foram também recolhidos dados relativamente ao cordão umbilical e fezes do bebé, amostras sanguíneas dos pais, leite materno, pó doméstico, bem como a história familiar de alergia ou asma, gravidez, presença de animais domésticos, exposição ao tabaco, doenças do bebé e toma de medicamentos.
 

O estudo apurou que comparativamente com os bebés nascidos de parto natural, aquelas que tinham nascido por cesarina apresentavam um risco cinco vezes maior de alergias quando expostos a elevados níveis de alergénios nomeadamente pelo de gato, cão e ácaros.
 

“Estes resultados vão ao encontro da hipótese higienista, a qual defende que a não exposição a microrganismos na infância afeta o desenvolvimento do sistema imunológico e o aparecimento de alergias. Acreditamos que a exposição do bebé às bactérias envolvidas no parto natural influencia o seu sistema imunológico”, revelou, em comunicado de imprensa, Christine Cole Johnson.
 

De acordo com a investigadora, os bebés nascidos de cesariana têm um padrão de risco relativamente aos microrganismos presentes no trato intestinal, o que os torna mais suscetíveis à produção da IgE.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.