Cerveja sem álcool torna leite materno mais rico

Estudo espanhol

17 agosto 2011
  |  Partilhar:

A cerveja sem álcool pode aumentar até 30% a capacidade antioxidante do leite materno, segundo concluiu um estudo conjunto do Hospital Universitário Doctor Peset e da Universidade de Valência, Espanha.

 

Esta é a principal conclusão de um estudo que começou em 2008 e que envolveu 80 mulheres saudáveis com diferentes origens e hábitos alimentares, que tinham dado à luz no Hospital Doctor Peset, e cujos bebés nasceram no período normal e com o peso adequado para a idade de gestação. A dieta habitual de 40 dessas mulheres foi suplementada durante o período de estudo com o consumo diário de 660 mililitros de cerveja sem álcool.

 

Em comunicado de imprensa, a líder da investigação, Pilar Codoñer, explicou que o objectivo do estudo era demonstrar que "o aporte exógeno de um produto rico em antioxidantes, como a cerveja sem álcool, poderia modificar a capacidade antioxidante que o leite humano já tem naturalmente e, assim, ajudar a reduzir o risco de doenças cardiovasculares nas crianças que são amamentadas."

 

Com este estudo não só é demonstrada a hipótese inicial, mas também foram verificados outros resultados. Por exemplo, no grupo de mulheres cuja dieta foi suplementada com cerveja sem álcool, o declínio progressivo que ocorre naturalmente na actividade antioxidante do leite humano – em comparação com a amostra de referência retirada aos 15 e 30 dias de vida do bebé - foi menor do que no grupo que não recebeu o suplemento, isto significa, segundo os investigadores, que as propriedades benéficas do leite materno são alargadas no tempo.

 

Além disso, as mães que seguiram a dieta suplementada com cerveja sem álcool apresentaram um menor dano oxidativo e um aumento da defesa antioxidante, tanto nas amostras de plasma como nas de urina. Na verdade, neste grupo de mulheres foi verificada a presença de 15% menos marcadores de stress oxidativo no plasma do que no outro grupo.

 

A investigação também verificou que o leite das mães que receberam cerveja sem álcool modificava o estado antioxidante do bebé, já que os níveis das moléculas que compõem o stress oxidativo na urina eram menores nos filhos das mães com dieta suplementada.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 2Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.