Cérebros humanos são mais idênticos do que se pensava

Estudo publicado na “Nature”

25 setembro 2012
  |  Partilhar:

O cérebro humano partilha uma estrutura genética semelhante e uma complexidade bioquímica enorme, refere a primeira análise mais profunda e abrangente do cérebro humano que foi publicada na revista “'Nature”.
 

O resultado deste estudo tem por base a análise do Allen Human Brain Atlas que detalhou todos os genes que atuam em todo o cérebro humano. Os investigadores do Allen Institute for Brain Science obtiveram o perfil de 400 a 500 áreas cerebrais através da tecnologia de “microarrays” e a expressão de mais de 100 milhões de genes.
 

Entre outros achados, foi demonstrado que 84% de todos os genes são expressos algures no cérebro humano e que os padrões são muito semelhantes entre diferentes cérebros. ”Este estudo demonstra a importância da análise da expressão genética global de todo o cérebro e as suas implicações no conhecimento da função cerebral, desenvolvimento evolução e doença”, referiu em comunicado de imprensa, o coautor do estudo, Ed Lein. “Este é apenas o começo daquilo que poderemos aprender com tamanha quantidade de dados”, acrescenta o investigador.
 

O estudo apurou que apesar das múltiplas personalidades e talentos cognitivos encontrados na população humana, os nossos cérebros são muito semelhantes. Os cérebros humanos partilham o mesmo modelo molecular básico. Uma análise mais detalhada demonstrou que as regiões vizinhas do córtex cerebral são bioquimicamente mais semelhantes que as regiões mais distantes. Esta informação poderá ter assim implicações para a compreensão do desenvolvimento de cérebro humano, ao longo da vida e através da evolução.
 

Foi também observado que os hemisférios esquerdo e direito não apresentam diferenças significativas a nível da arquitetura molecular. Os investigadores verificaram ainda que apesar de controlar uma variedade de funções, que vão desde a perceção visual ao planeamento e resolução de problemas, o córtex é uma região que em comparação com outras é muito homogénea.
 

Para além de todos estes resultados globais, o estudo fornece novas informações sobre o funcionamento detalhado do cérebro ao nível molecular, ou seja, no nível em que se desenvolvem as doenças e que os fármacos atuam.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.  

 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.