Cérebro funciona de um modo musical

Neurónios trabalham organizadamente e criam «melodias»

26 abril 2004
  |  Partilhar:

 A actividade espontânea dos neurónios no córtex cerebral funciona com padrões temporários sincronizados que criam uma espécie de «melodia musical», segundo um estudo publicado segunda-feira na revista Science.Os resultados da investigação contrariam a ideia tradicional de uma actividade cerebral desorganizada e supõem uma «mudança de rota» no estudo do funcionamento do cérebro, considera o seu autor, Rafael Yuste, do departamento de Ciências Biológicas da Universidade de Columbia (EUA).Para este trabalho foram recolhidos longos períodos de registos de actividade neuronal espontânea (não propiciada por estímulos externos) no cérebro de um gato anestesiado. A seguir, com a ajuda de um supercomputador, foi analisada a actividade neuronal em busca de repetições «do mesmo ruído», tendo sido encontrados, surpreendentemente, muitos casos de repetição «exacta» da mesma actividade.Os neurónios não emitem sons - explica o espanhol Rafael Yuste - mas um padrão de descarga temporário que pode ser analisado «como se fosse uma partitura». Em contraste com a visão tradicional do cérebro, que o compara a uma «caixa negra» que fica «desligada» enquanto não recebe estímulos externos, o novo estudo mostra que, na realidade, esse órgão é «um organismo vivo» que tem «a sua própria dinâmica» e as suas regras internas.A actividade neuronal progride sob a forma de cadeias sincronizadas e, longe de ser um «ruído desordenado», é na realidade uma «forma de melodia» criada pelas ligações entre os neurónios.«De forma semelhante» a uma orquestra em que os músicos emitem as notas em função das que são tocadas nos outros instrumentos, os neurónios geram também «uma espécie de música» com uma «delicada precisão temporária».«O repto agora», conclui o investigador, é tentar «decifrar estas canções», isto é, entender como se processa a informação com estes padrões temporários da música, para desvendar o código de funcionamento do cérebro.Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.