Cereais integrais diminuem risco de várias doenças

Estudo publicado no “British Medical Journal”

17 junho 2016
  |  Partilhar:

A ingestão diária de mais de três porções de fibra dietética, cerca de duas fatias de pão integral e uma tigela de cereais integrais de pequeno-almoço, está associada a um menor risco de todas as doenças cardiovasculares e de morte por cancro, diabetes, doenças respiratórias e infeciosas, defende um estudo publicado no “British Medical Journal”.
 

A equipa internacional de investigadores, liderados por Dagfinn Aune, do Imperial College Londres, no Reino Unido, observou um menor risco entre os indivíduos que ingeriam cerca de sete a sete porções e meia de cereais integrais diariamente. Isto corresponde a um peso fresco de 210 a 225 gramas e a um peso seco de 70 a 75 gramas de cereais integrais.
 

Para o estudo foram recolhidos dados de 45 estudos populacionais diferentes que analisaram a ingestão de cereais integrais relativamente ao risco futuro de doenças ou morte devido a causas específicas.
 

A análise demonstrou poucos fatores de risco entre os indivíduos que consumiam mais pão integral e cereais integrais, assim como alimentos com farelo adicionado. Por outro lado, as pessoas que consumiam uma grande quantidade de pão branco, arroz ou cereais refinados não apresentavam um risco reduzido.
 

"Muitas pessoas comem grandes quantidades de cerais, mas escolhem pães refinados em vez das variedades com mais fibra dietética. O nosso estudo sugere que se pode reduzir o risco de morte prematura, substituindo uma grande parte da farinha branca na dieta por cereais integrais", referiu o investigador.
 

Alguns dos efeitos benéficos do consumo de cereais integrais podem estar associados ao elevado teor de fibra. Uma elevada ingestão de fibra dietética pode estabilizar os níveis de açúcar no sangue, diminuir a pressão arterial, bem como os níveis de colesterol e de marcadores inflamatórios no sangue e pode ainda afetar positivamente o ambiente intestinal. Tudo isto pode contribuir para uma redução do risco de diabetes, doença cardiovascular e cancro.
 

Os produtos com cereais integrais também contêm outras substâncias biologicamente ativas, como antioxidantes, vitaminas B, ferro, magnésio e zinco. É provável que todos estes componentes contribuam para um efeito positivo no risco de doença crónica e mortalidade.
 

Nove estudos com um total de mais de 700 mil participantes analisaram o risco de todos os tipos de doenças cardiovasculares e mortes associadas. A metade dos participantes do estudo que comia mais cereais integrais tinha um risco 16% menor, comparativamente com aqueles que consumiam menos este tipo de alimentos. Além disso, por cada terceira porção adicional diária de cereais integrais o risco reduzia em 22%.os
 

Os sete estudos que analisaram a doença arterial coronária mostraram estimativas de risco semelhantes.
 

O risco de morrer prematuramente por todas as causas foi 18% menor para os indivíduos que consumiam uma grande quantidade de cereais integrais, comparativamente com aqueles que consumiam menores quantidades. O consumo de três porções adicionais por dia foi associado a uma redução de 17% na mortalidade. O risco de mortes associadas ao cancro (15%), doenças respiratórias (22%),diabetes (51%) e doenças infeciosas (26%) também diminuía com a quantidade de cereais integrais consumidos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.