Centro Hospitalar U. Coimbra com novo equipamento auxiliar para colheita de órgãos

Suporte cardíaco e pulmonar de doentes em falência cardiorrespiratória

13 fevereiro 2020
  |  Partilhar:
O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) prevê aumentar este ano o número de colheita de órgãos com a entrada em funcionamento de um novo equipamento que mantém a sua vitalidade em caso de falência.
 
Segundo Fernando Regateiro, presidente do CHUC, trata-se de um equipamento que permite suportar a vitalidade dos órgãos do corpo humano nos casos de falência cardiovascular grave refratária e respiratória grave refratária.
 
"É um sistema artificial que permite o suporte cardíaco e pulmonar de doentes em falência cardiorrespiratória, com incapacidade para realizarem as trocas gasosas ou de perfusão, capazes de os manterem vivos", explicou o responsável à Lusa.
 
Fernando Regateiro realça que o novo equipamento pretende "otimizar a utilização dos recursos existentes, estendendo situações de paragem cardiocirculatória refratária e ao suporte de dadores de órgãos para transplantes em paragem cardiorrespiratória".
 
A entrada em funcionamento do ECMO (técnica extracorporal de "bypass" cardiopulmonar), em janeiro, "depois de um longo processo de planeamento e ponderação de vantagens e de ganhos é mais um passo importante para servir melhor a população da região Centro".
 
De acordo com Fernando Regateiro, o CHUC é a unidade do país que mais colheitas de órgãos faz a nível nacional, tendo registado 55 colheitas em 2019, "e pode aumentar agora o número de colheitas por este procedimento".
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar