Células precursoras: Muitas estão ainda impróprias para investigação
05 setembro 2001
  |  Partilhar:

O executivo norte-americano reconheceu ontem que mais de metade das linhagens de células precursoras elegíveis para investigação com financiamento público estão insuficientemente desenvolvidas para tal.
 

 

O secretário de Estado da Saúde, Tommy Thompson, afirmou que mais linhagens estarão provavelmente desenvolvidas na altura em que os fundos federais forem distribuídos, no próximo ano.
 

 

Mas, sublinhou, mesmo que isso não aconteça, as 24 ou 25 linhagens de células precursoras desenvolvidas são suficientes para fazer avançar a ciência neste campo.
 

 

Thompson afirmou também que a administração chegou a um acordo sobre patentes que vai permitir aos investigadores financiados por fundos públicos trabalhar com as células precursoras embrionárias existentes.
 

 

O acordo, alcançado com a Fundação de Investigação Wisconsin Alumni, que detém as patentes do método de isolamento das células precursoras embrionárias, ultrapassa uma das principais barreiras à investigação neste campo.
 

 

O presidente Bush autorizou a concessão de fundos públicos para a investigação com 64 linhagens de células mãe embrionárias, o que foi criticado por cientistas por considerarem que são insuficientes para a investigação e que muitas delas não estão desenvolvidas.
 

 

O secretário de Estado da Saúde admitiu hoje que as linhagens para investigação se encontram "em várias etapas de desenvolvimento".
 

 

Muitos cientistas envolvidos nesta investigação acreditam que muitas das linhagens são tão jovens e frágeis que ainda não é claro que possam converter-se em qualquer tipo de célula do corpo humano.
 

 

A obtenção das células mãe embrionárias implica a destruição de embriões humanos, o que motivou um aceso debate sobre as promessas científicas que podem conter e as questões éticas que encerram.
 

 

Os cientistas afirmam que a investigação com essas células pode ajudar a encontrar novos métodos para tratar doenças como as de Parkinson, Alzheimer, a diabetes e o cancro e asseguram que as 64 linhagens autorizadas por Bush não são suficientes.
 

 

Calcula-se que existam cerca de cem mil embriões congelados nas clínicas de fertilização norte-americanas, nos quais não poderão ser aplicados fundos federais para realizar investigação.
 

 

Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.